PUBLICIDADE
Jornal
>

Como é a metodologia utilizada pelo GuiaBolso

05/03/2018 01:30:00

Para calcular o Índice de Saúde Financeira (ISF), o GuiaBolso avalia três compontentes. O Fluxo de Caixa, para verificar se o consumidor conseguiu economizar, é um deles. O objetivo é ver se a pessoa teve renda maior do que os gastos. Quando maior a economia mensal, maior o indicador.


Os Investimentos também são analisados. Mede quanto foi aplicado. Quanto maior o valor investido, maior o indicador. O terceiro ponto é a análise das dívidas. Aqui é avaliado se o consumidor conseguiu evitar juros do cheque especial, umas das modalidades mais caras de crédito. Quanto menos ele utilizar o cheque especial (e portanto pagar menos juros), maior é o indicador.


Esses três fatores são reunidos para criar o indicador. “O diferencial do cálculo é que não é uma pesquisa de opinião, como 99% das pesquisas existentes, pois parte da análise do extrato do consumidor. A gente analisa a movimentação do extrato de conta corrente pelo algoritmo e, a partir daí, calcula indicador e vai segmentando por estados”, explica o CEO do GuiaBolso, Thiago Alvarez.


De acordo com ele, o aplicativo tem cerca de 4 milhões de usuários. A pesquisa sobre a saúde financeira precisou de uma amostra representativa, incluindo todas as rendas e áreas geográficas. Foram analisados os extratos de 64 mil pessoas no Brasil.


Para Alvarez, essa é uma amostra grande, tendo em vista que, em levantamento oficial de Governo Federal, como a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), a amostra é geralmente de 2 mil pessoas. O ISF compara 2017 em relação 2016.

 

Gabrielle Zaranza

TAGS