PUBLICIDADE
Jornal
>

Preço da cesta básica recua 1,8% em Fortaleza em 12 meses

Apesar da redução, a Capital cearense continua com a cesta básica mais cara do Nordeste, que custa R$ 387,61. Na Região, o preço médio é de R$ 358,66

16/02/2018 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

O preço da cesta básica das capitais do Nordeste apresentaram redução no acumulado dos últimos 12 meses. Fortaleza registrou a segunda menor queda (-1,8%), atrás apenas de Natal (-0,8%). Em termos de valores monetários, a Capital cearense permanece com o conjunto de alimentos mais caro da Região (R$ 387,61), sendo 8,1% maior que o valor da cesta regional (R$ 358,66), além de superar em 16% a cesta básica mais barata, a de Salvador (R$ 333,98).


A informação foi divulgada pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), área do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) que analisa dados do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese).


As maiores reduções foram verificadas em Salvador (-6,4%), São Luís (-4,2%), João Pessoa (-4,1%), Aracaju (-2,9%) e Recife (-2,8%). Em janeiro, no entanto, houve expressivas elevações em todas elas. A pesquisa não foi realizada em Maceió e Teresina.


O custo da cesta básica nas demais capitais é: João Pessoa (R$ 368,76), Natal (R$ 360,48), Recife (R$ 356,47), São Luís (R$ 355,22) e Aracaju (R$ 349,97).


As variações mais expressivas em 12 meses ocorreram no preço da banana (%2b12,1%) em Recife e tomate (%2b5,5%) e pão (%2b4,4%) em Salvador. As maiores retrações foram verificadas no preço do feijão (-43,8%) e da banana (-13,2%), ambos em Salvador, e leite (-12,8%) em Recife.


O trabalho do Etene conclui que os aumentos da cesta básica têm superado a variação da inflação do País. Em conseqüência, as famílias de baixa renda são penalizadas.


No último mês, a cesta básica em Fortalez ficou 5,49% mais cara, segundo o Dieese. A inflação foi puxada pela alta nos preços do tomate (34,97%), banana (14,31%), pão (1,34%), farinha (1,28%)) e café (1,14%).

 

Gabrielle Zaranza

TAGS