PUBLICIDADE
Jornal

Retomada das obras depende de verba do Governo Federal

03/11/2017 01:30:00

Apesar das tuneladoras estarem sendo montadas, a retomada das obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza ainda depende de repasse de R$ 1 bilhão do Governo Federal. Hoje há impasse sobre liberação dos recursos. Isto porque o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) condiciona a transferência de outros R$ 1 bilhão para a continuação dos trabalhos ao dinheiro prometido pela União ao Governo do Estado. A contrapartida do Executivo é de R$ 500 milhões.


As obras da Linha Leste do metrô, ligando o Centro ao bairro Edson Queiroz, foram iniciadas em novembro de 2013 e paralisadas no início de 2015 por conta da reformulação societária do consórcio Cetenco-Acciona. A denominação e composição foram alteradas para Consórcio Metrô Linha Leste Fortaleza, formado pelas empresas Acciona e Marquise, que passou a liderar a sociedade.


Sobre as tuneladoras, que custaram US$ 66.759.114,42, o titular da Secretaria da Infraestrutura do Ceará (Seinfra), Lúcio Gomes, havia anunciado, em maio deste ano, assinatura do oitavo aditivo no contrato com a empresa The Robbins Company. Alegava-se estratégia de preservação dos equipamentos, diante da incerteza da volta das obras.


O custo para o Estado é de US$ 8,76 milhões, com pagamento de R$ 5 milhões para construção de quatro galpões de 90x10 metros. O valor, segundo havia dito Lúcio, é antecipação de montantes previstos nos contratos de 2012.


“Após esse trabalho, as máquinas ficarão como novas, e teremos uma garantia estendida de 18 meses após o serviço de revisão e montagem”, afirmou à época.


Dos US$ 8,7 milhões, o Estado paga US$ 1.008.460 (11,51% do total) neste ano. Pelo cronograma, as outras parcelas serão de US$ 6,9 mil em 2018 (79,64%) e US$ 774,9 mil em 2019 (8,85%). O Governo terá, ainda, dois descontos sobre esse aditivo, segundo o secretário havia informado. O recebimento do aluguel pela concessionária das máquinas no valor de R$ 1,3 milhão por equipamento durante nove meses.


O consórcio Metrô Linha Leste Fortaleza terá descontado o valor da montagem que, em contrato, é de responsabilidade da concessionária. O secretário Lúcio Gomes destacou que também ficou acertada a possibilidade de recompra dos equipamentos pelo fornecedor.

Beatriz Cavalcante

Adriano Nogueira

TAGS