PUBLICIDADE
Jornal

Mais de 70% dos municípios gastam acima do limite

20/11/2017 01:30:00

Dificuldade financeira é o maior empecilho dos municípios cearenses para fazer investimentos em organização da gestão, afirma o consultor econômico da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), André Carvalho. Hoje, segundo ele, mais de 70% das cidades cearenses ultrapassam o limite permitido para gastos com pessoal e mais da metade está com a folha de pagamento dos servidores em atraso.


“O mais complicado em termos de organização é a dificuldade financeira que os municípios estão passando hoje. É ruim porque a área de gestão nunca é priorizada. Consideram primeiro as obras. Com a crise, nem isso está sendo feito. Depois, vem pessoal, custeio e, por último, os investimentos em gestão”, afirmou.


E o resultado mais visível disso é a queda na qualidade do serviço público prestado, observa. Carvalho reforça ainda que, como o percentual de arrecadação própria dos municípios cearenses ainda é muito baixo, é grande a dependência dos repasses federais. E estes recursos, em razão da queda da arrecadação na crise, também vêm diminuindo significativamente nos últimos anos. O aumento de responsabilidades dos gestores municipais é outro agravante.


“Os municípios estão recebendo cada vez mais responsabilidades, e sem a devida contrapartida em recursos. O que faz com que voltemos para a época dos ‘pires na mão’ para resolver problemas emergenciais”. André Carvalho cita a própria Marcha dos Prefeitos, que ocorrerá amanhã em Brasília, reunindo gestores de mais de 2 mil municípios de todo País, como um exemplo deste cenário. “Ao invés de pleitear questões de médio e longo prazo, os prefeitos estão tendo que ir atrás de recursos para prover a gestão de forma emergencial. É garantir a folha de pagamento que está atrasada”, observa. (Irna Cavalcante)



Adriano Nogueira

TAGS
NULL