PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Startup do CE foca em ações contra aéreas

01:30 | 27/10/2017

Em atuação desde abril deste ano, a startup cearense Ajudajus tem taxa de 100% de sucesso em processos de defesa do consumidor contra companhias aéreas. Por meio de um site, o cliente pode registrar o caso gratuitamente. Os honorários de 30% do valor da ação são cobrados quando há ganho de causa. Os sócios Jesus Hernández, advogado, e Bruno Arruda, engenheiro, contam que a empresa atua em cinco capitais e pretendem expandir os serviços jurídicos.

Hernández diz que costumava trabalhar para o outro lado do segmento, a favor das empresas de aviação. “Eu vi o que elas faziam com o consumidor e resolvi mudar de lado”, explica. Segundo o empresário, os próximos passos são incluir ações contra serviços de telefonia e bancos, setores que lideram listas de reclamações de clientes. Para formar a empresa, Bruno explica que os dois tiveram de abrir mão dos empregos anteriores. Hoje, a dedicação é exclusiva e conta com um terceiro sócio na área de tecnologia. A Ajudajus participa do evento de startups Case, em São Paulo.

A também cearense Digital Influencer participa do evento. A plataforma digital conecta empresas às celebridades da Internet. “Queremos expandir para Europa e América Latina até 2019”, afirma o CEO, Marcus Coelho. Atualmente a startup conta com mais de 2,5 mil influenciadores digitais e 500 empresas cadastradas. A AgendaEdu, startup do Ceará que conecta pais e escolas por meio de aplicativo, anunciou que estará intensificando as ações em São Paulo a partir de fevereiro. De acordo com o CEO, Anderson Morais, ainda este ano, o número de funcionários deverá dobrar. Aceleradores

Em vez de tentar competir com as startups, grandes empresas têm investido nelas para diversificar os ramos de atuação, explica Raphael Gonçalves, gerente da Casa Azul Ventures, aceleradora de startups. Os chamados aceleradores oferecem espaço, suporte e treinamento para o desenvolvimento de empresas.

 

A Casa Azul, por exemplo, é iniciativa de duas empresas já consolidadas, o Grupo de Comunicação O POVO e a consultoria Elogroup. O projeto dá suporte para cinco startups cearenses. “Várias grandes empresas estão neste evento. A gente quer ser referência no Ceará em aceleração. A gente coloca um budget de mídia do O POVO, muita relação comercial, conecta as pessoas. É uma iniciativa de vanguarda, é o único grupo de comunicação que tem acelerador no País. Lá fora, New York TImes, Washington Post, Bloomberg,investem também”, diz.

 

ISABEL FILGUEIRAS