PUBLICIDADE
Jornal

Mais flexibilidade para funcionar

31/10/2017 01:30:00

A lei do Comércio 24 horas abre nova perspectiva para o Varejo. A projeção das lideranças do setor é a de que a mudança pode gradativamente impulsionar o consumo, gerar empregos e trazer para Cidade novos hábitos de compra.  

Não será do dia para noite que as lojas vão funcionar 24 horas, apesar de a lei permitir. Tão pouco é o que os empresários querem em função do alto custo deste tipo de operação. Mas a ideia é que, conforme a demanda for se consolidando, as lojas fiquem abertas por mais tempo. Inicialmente, nos feriados e datas comemorativas. “O que a gente quer é a liberdade para trabalhar”, diz o presidente da CDL Fortaleza, Severino Ramalho Neto.  

Com o tempo vão surgir novos hábitos de compra, a exemplo do que ocorreu nos shoppings aos domingos, que apesar da pouca adesão no início, hoje, já é o segundo dia de maior movimento.  

A flexibilização é tida como essencial pelo presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL-CE), Freitas Cordeiro, até mesmo por conta da demanda que vai surgir a partir do hub aéreo da Air France-KLM/Gol. “Em uma cidade turística, o comércio não pode fechar às 18 horas”. Assis Cavalcante, presidente da Ação Novo Centro, destaca que, para a mudança dar certo, é preciso também reforçar a segurança, o transporte público e a cultura.

TAGS