PUBLICIDADE
Jornal

Horizonte é líder na geração de vagas de trabalho no CE

De janeiro a setembro deste ano, o município criou 3.570 vagas de emprego formal e perdeu 2.907, registrando saldo positivo de 663 postos

21/10/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

O município de Horizonte, localizado na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), gerou 3.570 novos postos de trabalhos no acumulado de janeiro a setembro deste ano. Apesar de 2.907 trabalhadores demitidos, a cidade foi a que teve o melhor desempenho no Ceará, com 663 empregos criados em igual período. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quinta-feira, 19, pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Resultados do município são impulsionados pelo setor industrial, que movimenta a criação de postos formais de trabalho.


O município de Eusébio teve o segundo melhor desempenho, com saldo positivo de 590 vagas, sendo 9.833 admissões contra 9.243 demissões. A presença de investimentos nos setores de serviço (terceirização) e da construção civil tem possibilitado a dinâmica da economia da cidade. Missão Velha também se destacou, com saldos positivos de 538. Foram 1.055 admissões contra 517 desligamentos.


Menor desempenho

Na ponta da tabela, entre os municípios com os menores saldos, está Fortaleza. De janeiro a setembro, na Capital cearense, foram contratadas 173.930 pessoas, enquanto 180.464 foram demitidas, resultando em saldo negativo de 6.534. Juazeiro do Norte teve o segundo pior desempenho. A cidade contratou 11.396 novas pessoas, mas demitiu 12.462. Ou seja, o saldo negativo foi de 1.116. Com o terceiro pior saldo, aparece Brejo Santo, onde 1.341 pessoas foram admitidas e 2.363 desligadas, resultando na perda de 1.022 postos de janeiro a setembro.

[QUOTE1] 

Para Erle Mesquita, analista do mercado de trabalho do Sine/IDT, o Estado passa por crise no mercado de trabalho. “Esses resultados são devido a fatores sazonais, mais do que fruto de uma retomada da economia. Mesmo nos municípios metropolitanos mais estruturados, com exceção de Horizonte e Eusébio, os outros têm sofrido muito com a redução dos empregos”, diz.


Ceará

No acumulado deste ano, o Ceará apresenta saldo negativo de 3.924 empregos com carteira assinada. Apesar disso, o Estado vem crescendo pelo quarto mês consecutivo, com 2.161 postos em setembro. Para o economista Ricardo Coimbra, o setor de serviços é o que mais sofre no Ceará. “A expectativa é que comece a ter uma estabilidade na queda do emprego nos próximos meses”, afirma.

 

Ítalo Lucas

TAGS