PUBLICIDADE
Jornal

Fiec aprova redução de mandato

Diretoria Plena da Fiec se reuniu na sede da entidade e aprovou por unanimidade dos presentes redução do mandato de cinco para três anos

05/10/2017 00:00:00
NULL
NULL
[FOTO1]

A Diretoria Plena da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) aprovou redução de mandato da Presidência da entidade de cinco para três anos, em reunião na tarde de ontem. A mudança permitirá que o atual presidente, Beto Studart, saia do comando da Fiec antes do fim do seu mandato, em 2019, e que novas eleições sejam convocadas.


Caso haja nova eleição, isso impedirá Alexandre Pereira, vice-presidente da Fiec, de ficar imediatamente à frente da Federação com a vacância de Beto. Pelo estatuto da entidade, em seu capítulo V, artigo 35, o presidente, “em caso de vacância do seu cargo, será sucedido pelo 1° vice-presidente” para o cumprimento do restante do mandato.

[SAIBAMAIS]

Conforme O POVO apurou, a reunião de ontem contou com 19 componentes de Diretoria Plena, constando cinco ausências, inclusive a de Alexandre. A Diretoria não tem poder para mudar estatuto. Mas indica resposta positiva do núcleo duro da Fiec para mudança das regras.


Durante o encontro, foi criada comissão formada por três representantes. Eles vão fazer estudo para apresentar já nesta sexta-feira, 6, a proposta de mudança de estatuto em nova reunião de Diretoria Plena. O novo estatuto somente pode ser aprovado pelo Conselho Representativo da Fiec. O nome cogitado para assumir no lugar de Beto - e de sua preferência - é Ricardo Cavalcante, diretor administrativo da Fiec. “Eu recebo isto (indicação de Beto) com tranquilidade e alegria. Mas continuo sendo o diretor administrativo da Fiec”, disse Ricardo na última terça-feira, 3.


Segundo O POVO apurou, houve tentativas de acordo entre Alexandre e Beto desde segunda, mas não avançaram. A decisão de alterar o mandato sinaliza que não haverá entendimento. Isso porque havia acordo, quando da eleição do Beto para que Alexandre fosse candidato após os cinco anos do atual presidente. Mas agora este acordo foi quebrado.


“Resolvemos daqui para frente... A Federação adotar mandato de três anos... Fico com possibilidade de consolidar meu mandato dentro de três anos. Dentro de 50 dias a gente conclui esse processo”, disse Beto, ontem, ao O POVO/CBN. “Não sou candidato, nunca fui candidato. Sou do PSDB, mas há muitos anos não participo do movimento partidário”, acrescentou.


Questionado se Beto não quer deixar que o vice assuma. Ele diz que não existe isso. “Alexandre Pereira é um cara super honrado. Não tem porque fazer restrição a Alexandre. Uma coisa é fazer restrição, outra coisa é ter preferência. Eu não tenho nenhuma restrição. Eu tenho particularmente uma preferência, mas não é exclusiva. Eu não excluo os demais por ter uma preferência. Qualquer amigo poderá colocar seu nome para formar uma chapa. O Alexandre, se quiser colocar a chapa dele, pode colocar”, afirma Beto.

Eleições

Com mandato sendo reduzido de cinco para três anos, novas eleições devem ser realizadas em aproximadamente dois meses. Procurados, associados à Fiec, que não quiseram se identificar, demonstraram total apoio à decisão do empresário Beto de deixar a Presidência da entidade. Cogita-se que os motivos da saída sejam políticos, mas seus aliados e o próprio Beto dizem que são pessoais.

 

Quanto ao vice, Alexandre, os bastidores da Fiec apontam seu descontentamento. A reunião desta quarta-feira não contou com sua presença. Ele se encontra em São Paulo, acompanhando o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT). Alexandre é secretário do Turismo da Capital e presidente do PPS.

 

Beatriz Cavalcante

TAGS
NULL