PUBLICIDADE
Jornal

Ceará e Portugal vão monitorar investimentos

Oportunidades de negócios para micro e pequenas empresas do Ceará e de Portugal, na área de turismo, foram apresentadas no seminário Turismo Mais Inteligente, em Fortaleza

11/10/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1] 

Proposta de criação do Mirante dos Negócios Ceará-Portugal, para monitorar oportunidades de negócios na área turística, vai ser detalhada pelo Sebrae-CE e Câmara Brasil Portugal. A ideia foi lançada ontem pelo superintendente do Sebrae-CE, Joaquim Cartaxo, durante o seminário Turismo Mais Inteligente- Oportunidades de Negócios.


Cartaxo, que apresentou o projeto das Rotas Turísticas do Ceará e as potencialidades de negócios nestes territórios, destaca que o objetivo é fortalecer o relacionamento turístico entre Ceará e Portugal com micro e pequenas empresas, especialmente dos segmentos de hospedagem e alimentação.

[SAIBAMAIS]

Ele adianta que, para a criação e atuação do Mirante dos Negócios Ceará-Portugal, deverá ser elaborado um plano de trabalho para definir e apresentar as melhores chances de investimento. Conforme o superintendente do Sebrae-CE, o Ceará tem oportunidades na praia, serra e sertão, podendo os empresários montarem empresas de receptivo, por exemplo. “Também poderemos levar o artesanato cearense para os portugueses”, comenta.


O diretor da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (Aicep - Portugal Global), Fernando Carvalho, diz que Portugal é destino de investimentos no turismo e plataforma de entrada no mercado europeu. Ele ainda salientou as vantagens competitivas, infraestrutura, logística, tecnologia, mão de obra qualificada, qualidade de vida e segurança.


Procura maior

Carvalho diz que hoje mais empresas brasileiras procuram Portugal, ao contrário das portuguesas que buscavam o Brasil anos atrás. “Não tenho números porque temos uma dificuldade de fazer isso, porque o cidadão brasileiro pode entrar e ficar durante 90 dias sem visto”, comenta, informando que em 2016 houve crescimento de 10% nos investimentos ante o ano anterior.

 

O diretor da Aicep considerou a ideia do Mirante uma excelente forma de não só ir acompanhando e percebendo tendências, como para antecipar rumos para empresas brasileiras e portuguesas. No evento, a apresentação da Aicep destacou que Portugal já saiu na crise, passando de um Produto Interno Bruto (PIB) negativo, de -10,9% em 2008, para um saldo positivo de 1%, sendo ainda o 25º país no mundo onde é mais fácil fazer negócios. São 4,5 dias para se começar um negócio, o que implica cinco procedimentos.


A Aicep ainda destaca que Lisboa é ponto de encontro de todos. De acordo com o Doing Business 2017, publicado pelo Banco Mundial, Portugal ocupa o primeiro lugar a nível mundial no indicador de facilidade de comércio internacional.

 

TAGS
NULL