PUBLICIDADE
Jornal

CDL Fortaleza realiza hoje eleição de novo presidente

O empresário Assis Cavalcante é candidato único à Presidência da entidade. Ele vai substituir o atual presidente, Severino Ramalho Neto

16/10/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

A Câmara dos Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL) realiza hoje, às 12 horas, eleição para confirmar o nome de Assis Cavalcante como novo presidente da entidade para o triênio 2018/2020. Candidato único ao cargo, ele vai suceder o empresário Severino Ramalho Neto, dono da rede de supermercados Mercadinhos São Luiz. Dentre os desafios, está o de impulsionar o fortalecimento do comércio no processo de retomada da economia.


Assis Cavalcante tem mais de 40 anos de experiência no varejo. Dono das Óticas Visão, rede de 23 lojas, sendo 12 delas no Centro, ele ocupa atualmente o cargo de presidente da Ação Novo Centro. Em entrevista ao O POVO, evita falar pela CDL antes da eleição, mas adianta que, se eleito, pretende dar continuidade ao trabalho já realizado por Severino no cargo. “Quero manter os projetos que a Casa já tem e aumentar o foco nas ações que valorizam os lojistas”, destaca.


A mudança de cargo na CDL acontece em momento de mudanças nas relações de trabalho. Em novembro, entra em vigor a reforma trabalhista. Além disso, tramita na Câmara Municipal de Fortaleza projeto para flexibilizar horário de funcionamento do comércio local.


Pela proposta, nas Zonas Especiais de Dinamização Urbanística e Socioeconômica (Zedus) da Cidade, incluindo o Centro, nos locais distantes em até um quilômetro da orla marítima e nos supermercados, será possível o funcionamento 24 horas. As lojas que estiverem distantes até 1 km de shopping centers serão autorizadas a funcionar de 8 até meia-noite.


“A reforma trabalhista vai trazer mais segurança jurídica para as contratações e com o novo horário de funcionamento do comércio, se o projeto for aprovado, poderemos funcionar até mais tarde e negociar diretamente com os trabalhadores a abertura das lojas aos domingos e feriados”, diz Assis. Para ele, a adesão às novas regras será gradativa.

Ainda não é possível estimar o impacto financeiro destas mudanças, mas ele lembra que um dia de loja fechada em razão de feriado representa 5% do faturamento do mês.


Sinais de melhora


Assis afirma que, apesar da crise ter afetado fortemente o comércio nos últimos dois anos, já é possível enxergar sinais de melhora. Em parte por conta do equilíbrio fiscal e financeiro do Estado e Município, que mantiveram o pagamento do funcionalismo em dia; da liberação dos recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) inativo; da criatividade do lojista e de estratégias pontuais de reordenamento da Cidade que ajudam a estimular o consumo ativo.

Irna Cavalcante

TAGS
NULL