PUBLICIDADE
Jornal

Falta de pagamento chega a 46%

07/07/2017 01:30:00

A inadimplência no Fies chega hoje a 46%, sendo hoje o ônus todo do Governo Federal. A partir de 2018, o Fies terá fundo garantidor de R$ 2 bilhões, em quatro anos, com aporte do MEC de R$ 500 milhões ao ano para o Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (Fgeduc).


Com as mudanças, o Fgeduc passará a absorver 25% da inadimplência. Se o índice ficar acima e ainda não for suprido pelo aporte do MEC de R$ 500 milhões ao ano, o custo será repassado para as universidades privadas. “O próprio Governo afirma que o índice de inadimplência atual do Fies gira em torno de 46%. Ou seja, o aporte do Governo já não cobriria o índice de inadimplência. Dessa forma é fundamental uma análise criteriosa do ponto de equilíbrio de cada curso e turma para identificar o risco”, analisa Christianne Melo, diretora geral e acadêmica da Fametro.


Ênio Arêa Leão, vice-presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças – Ceará (Ibef-CE), diz que educação é o melhor investimento de longo prazo que se pode fazer. “A gente já teve regras mais flexíveis, em que não precisava fiador. Isso não significa que é bom, porque essa flexibilidade gerou inadimplência grande e crescimento de cursos ruins”. Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) avalia que as regras são mais simples e o aluno tem uma maior clareza e previsibilidade do que terá que pagar. (BC)

Adriano Nogueira

TAGS