PUBLICIDADE
Jornal

Crise não atinge romantismo dos apaixonados

Segmentos como moda íntima, floricultura e perfumaria projetam incremento nas vendas neste Dia dos Namorados, mesmo diante da crise econômica

10/06/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

A proximidade de mais uma data comemorativa sempre traz novo ânimo para o comércio. Mas para alguns segmentos, o Dia dos Namorados, que será nesta segunda-feira, 12, a expectativa é maior para segmentos específicos. É o caso, por exemplo, do setor de lingeries que mesmo em um ambiente de incerteza política e econômica projeta para este ano um crescimento superior a 10% nas vendas.


O presidente da Câmara Setorial do Vestuário, Herbert da Costa Velho, explica que na indústria de confecções o aumento da demanda já vem sendo sentido com mais força. “É o nosso segundo Natal. Desde a segunda quinzena de maio a gente já percebe uma melhora no consumo em função da data”.


Ele explica que o Ceará é o principal polo de fabricação de lingerie no País. São mais de 600 fabricantes no Estado que são responsáveis pela maioria do abastecimento do setor na região Norte e com grande penetração também na região Sudeste.


Para alguns fabricantes as projeções de vendas são ainda mais otimistas. O diretor da Nayane Rodrigues Lingerie, Rodrigo Lima, por exemplo, prevê um incremento de 30% para o Dia dos Namorados, no comparativo com o ano passado. Ele diz que além do apelo da data, este ano, a marca cearense que atua no atacado e no varejo conseguiu aumentar sua participação no mercado. “Com o fechamento de algumas fábricas, aumentou a procura pela marca”, explica Rodrigo.


A gerente de vendas da Loungerie, Paula Saboia, diz que o movimento na loja começou a ficar mais intenso desde o início da semana. Dentre as peças que ganham mais destaque no período estão as mais sofisticadas, com transparências e rendas. “É o nosso Natal, lingerie tem tudo a ver com a paixão”.


A dona de casa, Liliana Fontenele, 28, adora planejar a data. “Eu gosto de tudo novo. Lingerie nova, vestido, não sei explicar bem o porquê, é tradição. O presente é uma das primeiras coisas que compro, sempre com antecedência”. Além de um jantar especial com o namorado. “A gente vai sair para jantar e procuramos um lugar em que a gente não costuma ir sempre”.


Artigos de vestuário, relógios, joias e itens de perfumaria também estão dentre as preferências dos consumidores cearenses, segundo pesquisa divulgada pela Federação do Comércio do Estado do Ceará (Fecomércio-CE). De acordo com a entidade, a compra de presentes este ano deve movimentar em torno de R$ 145 milhões no comércio local.


Perfume foi a escolha da fisioterapeuta Carla Medeiros, 32, para agradar ao namorado. “Eu sei que ele gosta”.


Floricultura

Outro segmento que costuma crescer neste período é o de floricultura. O vice-presidente da Associação Cearense de Floristas (Aceflor) e proprietário da floricultura Tomoé, Roberto Ito, aposta em um crescimento de 4,5% este ano. “Demonstrar o amor nunca sai de moda”.

 

No Ceará, os maiores produtores estão concentrados na região de Ibiapaba e de Baturité. Além do mercado local, as flores produzidas aqui têm dentre principais destinos os estados do Sudeste. Dentre as espécies, as rosas vermelhas e as flores de coloração rosa são as que têm maior saída nesta data. Mas não apenas em forma de buquê.


“As floriculturas capricham na diversificação e muita gente vem aqui em busca de flores para personalizar o presente, para entregar junto com um relógio, com uma chave de carro, eles estão em busca de uma nova experiência de compra”, explica Ito, ressaltando que para garantir o atendimento, a loja pretende abrir excepcionalmente neste domingo.


Quem está confiante também é a engenheira agrônoma da Rosas Reijers, Camila Reijers, que projeta um incremento de 7% nas vendas. “Isso é um número bem representativo diante do quadro econômico que estamos vivendo. A flor, pelo seu custo-benefício, torna-se o presente mais adequado para a época e bolso de nossos clientes”.

 

Saiba mais


O que diz a pesquisa da Fecomércio sobre o Dia dos Namorados


A data deve movimentar R$ 145 milhões no mercado local


Os consumidores pretendem pagar suas compras preferencialmente à vista (57,8% das respostas) e com o cartão de crédito (36,7%).


A pesquisa revela que 46% dos consumidores pretendem comemorar o evento. Destes, 43,9% o farão em suas próprias residências ou de parentes e 32,6% comemorarão em restaurantes.


O sábado (16,4%) e a sexta-feira (12,2%) foram apontados como os dias mais prováveis para realizar a compra dos presentes.


O que pesa na escolha: promoções (54,5%), pesquisa de preços (36,1%), beleza das vitrines (23,9%) e a qualidade dos produtos (22,8%).


Fonte: Fecomércio

 

Adriano Nogueira

TAGS