PUBLICIDADE
Jornal

Comércio e serviços são alvos dos R$ 410 mi do 13º

Governador Camilo Santana anunciou o pagamento ontem. Serão beneficiados 162,806 mil servidores

14/06/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

A primeira parcela do 13º salário dos 162,806 mil servidores do Estado será paga no dia 6 de julho, o que injetará R$ 410 milhões na economia do Ceará. A data foi anunciada ontem pelo governador Camilo Santana (PT), em transmissão ao vivo pelo Facebook. “A partir do dia 6 de julho, o pagamento já estará na conta dos servidores do Estado para que eles possam desfrutar de boas férias”, disse.

[SAIBAMAIS]

Para Mauro Benevides Filho, secretário da Fazenda, diz que a liberação do dinheiro demonstra que o Estado mantém a estabilidade e o rigor no pagamento dos servidores ativos, inativos e pensionistas.


“É o único que tem calendário pré-definido até o final do ano. E que, portanto, assegura o pagamento regular da folha, férias, 13º salário. Com isso, auxilia o planejamento dos gastos dos servidores ao mesmo tempo em que incrementa o comércio e a geração de empregos”, afirmou. Ele ainda acrescenta que o Ceará é o primeiro estado a anunciar liberação do 13º.


A segunda parcela para os servidores é paga em dezembro. Ano passado, o dinheiro foi liberado no dia 22 e a injeção de dinheiro na economia foi de R$ 400 milhões. Na época, o Ceará foi o primeiro Estado a fazer o pagamento do salário. Este ano, Mauro prefere não antecipar nada sobre a segunda parcela, pois o pagamento depende do dia em que chegar recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).


Este ano, estados como o Rio de Janeiro ainda não depositaram nem a segunda parcela de dezembro. Neste mês de junho completaram seis meses de atraso do 13º salário de 2016. São mais de 230 mil servidores, entre ativos, aposentados e pensionistas que não receberam o abono.


Comércio

Ao saber da notícia, Severino Ramalho Neto, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL-Fortaleza), comemorou. “Seja para comprar, seja para pagar uma dívida, consumidor com dinheiro no bolso movimenta o comércio. Eu comemoro, também, ao fato de que o Governo mostra, com o pagamento, que tem mais disposição que outros estados”, disse.

 

Em contato com representantes do comércio de outras regiões, Neto diz que a situação de atraso de salários em estados como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul mexe com a capacidade de consumo das pessoas, o que impacta no comércio.


“Independentemente da crise política, que tem trazido todo dia notícia ruim, a gente (Fortaleza) tem conseguido descolar um pouco do cenário econômico nas datas principais de consumo. Sem dúvida é mais um impulso esse incremento que o 13º vai trazer ao varejo”, afirmou.


Antonio Alves Moraes Neto, presidente do Sindicato de Restaurantes, Bares, Barracas de Praia, Buffets e Similares do Estado do Ceará (Sindirest-CE), disse que a alta estação em si já representa incremento com quem trabalha no varejo. Para este ano, ele diz que a expectativa é a de que o período seja “mais animador” em termos econômicos ante julho do ano passado.

 

Saiba mais


De acordo com o levantamento do ICC, no perfil daqueles com maior otimismo se destacam os consumidores do gênero masculino (35,7%), do grupo com idade entre 18 e 24 anos (33,8%) e com renda familiar superior a dez salários mínimos (74,1%).


47,8% dos consumidores de Fortaleza consideram que sua situação financeira atual está melhor ou muito melhor do que há um ano.


Já as expectativas com o futuro se mostram mais otimistas, com 68,9% dos entrevistados acreditando que sua situação financeira futura será melhor ou muito melhor do que a atual.

 

Beatriz Cavalcante

TAGS