PUBLICIDADE
Jornal

Varejo propõe medidas para destravar o setor no País

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em parceria com o Sebrae reuniu empresários do varejo para elaborar um estudo que propõe impulsionar o varejo e será encaminhado ao Congresso Nacional

13/05/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Estender o limite de faturamento das empresas que hoje são atendidas pelo Simples Nacional e fazer com que este índice seja atualizado anualmente, facilitar a oferta de crédito por meio da criação de fundos de aval que ajudem a desburocratizar a concessão de financiamento, e a criação de um fundo específico para inovação são algumas das propostas que vão constar no estudo que a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) vai apresentar no dia 24 de outubro no Congresso Nacional para fortalecer a atuação do varejo no País. No Ceará, melhorar a segurança, infraestrutura e a desburocratização também são elencadas como prioridade pelos empresários do setor.

[SAIBAMAIS]

Ontem, 12, foi realizada em Fortaleza mais uma reunião do Programa Nacional de Desenvolvimento do Varejo (PNDV), organizado pela entidade em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que está ouvindo empresários de todo País para identificar as prioridades que serão incluídas na agenda. Ao todo, 15 estados serão consultados.


A reunião teve a participação de políticos, representantes do Sebrae e líderes do varejo do Estado. O gestor de projetos da CNDL, Daniel Sakamoto, disse que além do Ceará, o projeto já passou pelos estados da Bahia, Distrito Federal, Espirito Santo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Minas Gerais e São Paulo. Mas, até outubro, mais oito estados devem ser visitados.

[QUOTE1]

O presidente do CNDL, Honório Pinheiro, ressaltou que é fundamental fortalecer a atuação das micro e pequenas empresas de varejo no País e que para isso, a entidade já vem participando de discussões no Congresso para garantir o aperfeiçoamento da legislação do Simples Nacional. “É preciso que aja uma melhor compreensão de que o Simples Nacional é um projeto que deu certo. E ao invés de diminuí-lo, é preciso fazer com que avance e tenha mais rampas de saída, porque todo mundo que hoje é pequeno, quer também ser grande”.


Além de propostas macro, o projeto prevê também a identificação de demandas locais. O presidente da Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas (FCDL), Freitas Cordeiro, diz que no Estado o setor vem conseguindo muitos avanços a exemplo do projeto de simplificação tributária articulado pelas entidades junto ao Governo e que está tramitando na Assembleia Legislativa, mas é preciso avançar com a instalação do Conselho Estadual do Contribuinte. “É essencial porque teríamos o momento de estarmos mensalmente sentando em uma mesa com os órgãos arrecadatórios para debater melhor as propostas e ver como melhorar o ambiente de negócios”, diz Freitas.

 

Irna Cavalcante, Gabriel Amora

TAGS