PUBLICIDADE
Jornal

Fecomércio tem nova sede e atendimento unificado

30/05/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Com investimento de R$ 20 milhões, entre compra, reforma e adaptações do prédio, a Fecomércio-CE inaugurou ontem a sua nova sede administrativa. Com 13 andares, fica na Rua Pereira Filgueiras, 1070, no bairro Aldeota.


No local estão reunidos os órgãos que compõem o sistema, que inclui, além da própria Federação, o Serviço Social do Comércio (Sesc), o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC). Para o presidente da Fecomércio, Luiz Gastão Bittencourt, “a presença, em um mesmo prédio, permite fortalecer cada vez mais a gestão, a operação das atividades em comum e o fortalecimento da atuação no estado”.


SAC

O Sistema Fecomércio também anunciou ontem a implantação de um Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) integrado, que entra em operação em junho. Assim, todos os programas de educação profissional e a oferta dos serviços de saúde, lazer, assistência e cultura poderão ser acessados a partir de qualquer unidade do Sistema.

 

O Ceará é pioneiro neste projeto, que, segundo Gastão, deve ser adotado por outras 14 federações do comércio pelo País. O objetivo é fazer com que um empresário do Ceará seja reconhecido nos demais estados, com direito para usufruir dos sistemas nessas regiões, e vice-versa.


“Queremos que esse movimento se nacionalize e que o empresário de comércio de todo o Brasil seja reconhecido,” diz o presidente. A Fecomércio também apresentou a Carteira Empresário Contribuinte para ampliar o acesso a todos os serviços, produtos e atividades da instituição com preços diferenciados para os seus contribuintes. (Rafael Rocha, especial para O POVO)

 

Saiba mais


A Fecomércio-CE representa 36 sindicatos e mais de 150 mil empresas do comércio de bens, serviços e turismo de todo o estado do Ceará.


O setor é responsável por 74% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado.


Já em Fortaleza, o setor representa em torno de 82% da economia local.


 

Adriano Nogueira

TAGS