PUBLICIDADE
Jornal

BC diz que inflação deve ceder um pouco mais até agosto

20/05/2017 01:30:00

No Nordeste e no Brasil os indicadores econômicos também permanecem compatíveis com as perspectivas de estabilização da economia no curto prazo, de acordo com o boletim regional do Banco Central. No último trimestre, o índice de atividade econômica foi respectivamente de 1,21% e 1,12%, em relação ao trimestre anterior. E a inflação nas cinco regiões, que em abril de 2017 ficou em 4,8%, deve cair um pouco mais até julho e agosto, projetou o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel.


Os números desconsideram o cenário de alta do dólar como reflexo da crise política. Mas ele frisa que, apesar de ainda não ser possível mensurar o impacto, alguns indicadores como a melhora da safra agrícola nas regiões Nordeste e Centro-Oeste podem ajudar a equilibrar. “O quadro que mostrei da economia vem em grande parte da parte da oferta da boa safra agrícola e este vetor de crescimento está sujeito ao ciclo, os demais reflexos sobre a economia regional não é possível afirmar”.


Além da desinflação dos alimentos, fatores como o alto nível de ociosidade dos fatores de produção, refletido nos baixos índices de utilização da capacidade da indústria e, principalmente, na taxa de desemprego também favorece a desaceleração da inflação. “Por onde quer que se olhe se vê que o processo desinflacionário é robusto e não se dá por um fator pontual ou passageiro”. (Irna Cavalcante)


Adriano Nogueira

TAGS