PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Previsão é de que Pinto Martins seja o mais disputado

Localização e apelo turístico são aspectos que especialistas consideram como atrativos do Aeroporto de Fortaleza

01:30 | 16/03/2017
Leilão dos aeroportos acontece hoje às 10h em São Paulo FCO FONTENELE
Leilão dos aeroportos acontece hoje às 10h em São Paulo FCO FONTENELE

Chegou o dia em que o Aeroporto Internacional Pinto Martins será concedido à iniciativa privada, em leilão que acontece hoje às 10 horas, na BM&FBovespa, em São Paulo. Após conhecer o nome de três empresas da Europa que estão na disputa pelos quatro terminais a serem concessionados, Fortaleza é considerado o aeroporto que será mais disputado ante os outros (Salvador, Florianópolis e Porto Alegre).

A francesa Vinci Airports, a suíça Zurich e a alemã Fraport entregaram documentação para a disputa pelos terminais. A localização mais aproximada da Europa e o apelo turístico forte são pontos considerados para que as três empresas estejam interessadas.

Renato Sucupira, presidente da BF Capital, empresa que realizou o estudo dos quatro aeroportos, vencendo a licitação para modelagem do de Florianópolis e Porto Alegre, chegou a dizer que Fortaleza tinha o aeroporto menos atrativo. Mas, ao conhecer os investidores internacionais, agora afirma que Fortaleza tem tudo para ter um bom ágio - diferença entre o preço mínimo exigido e o valor ofertado pelo equipamento - e ser disputado pelas três empresas europeias. A oferta inicial exigida pelo Governo Federal para o Aeroporto de Fortaleza é de R$ 1,4 bilhão, com R$ 360 milhões pagos à vista. Os valores são os maiores entre os quatro aeroportos.

A expectativa do Governo do Ceará é a mesma. Antônio Balhmann, assessor especial para Assuntos Internacionais do Estado, diz que o aeroporto de Fortaleza será o mais disputado por ter o “portfólio mais denso, pela localização geográfica e por estar próximo da Zona de Processamento de Exportação (ZPE). Acrescenta que “será o único aeroporto a ter preço maior do que o mínimo ofertado. “Creio que o próximo passo é que a Latam venha a fazer do Aeroporto de Fortaleza o concentrador da sua operação nacional e internacional no Nordeste. Essas duas fases são fundamentais para o crescimento econômico do Ceará”, diz.

Adalberto Febeliano, professor de economia e planejamento do Transporte Aéreo, frisa que Fortaleza é um destino turístico “muito importante”. “Em Fortaleza, o que pode dar errado é quase nada. Há concorrentes com propostas realistas. A informação que tenho é que todos os aeroportos têm interessados, apesar do momento não ser dos melhores. Isso significa que eles conficam no potencial do mercado”.

O perigo

André Barbosa, diretor-geral da Assist Consultores Associados e especialista em projetos de parceria público-privada (PPP), acredita que o leilão de Fortaleza tem tudo para dar certo, mas, pode haver “uma armadilha”. Isso porque pode ser que a demanda de passageiros para o aeroporto não se concretize na proporção que o Governo Federal imaginou. “Se isso acontecer, a futura concessionária terá dificuldade para ter receita suficiente para fazer frente ao programa de investimentos proposto pelo Governo Federal e pode ser que demore mais que o necessário”.

 

Outro risco são ações judiciais atrapalhem o leilão. Ontem, a Advocacia-Geral da União (AGU) passou o dia monitorando possíveis liminares. Em nota, a AGU afirmou que conseguiu barrar uma ação na qual um grupo de construtoras pleiteava medidas por parte da Agência Nacional da Aviação Civil para alertar os investidores de obras inacabadas no aeroporto de Fortaleza.

 

NÚMEROS

 

1,4 bi

de reais é o valor da contribuição fixa exigida pelo Aeroporto de Fortaleza

 

Saiba mais

Toda a documentação foi aceita

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou ontem que foram aceitas todas as declarações preliminares, documentos de representação e garantias de propostas entregues na última segunda-feira, 13, pelos grupos interessados no leilão dos aeroportos de Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis.

O Governo esperava que, pelo menos, cinco grupos apresentassem propostas para a disputa. Mas, na última hora, alguns investidores que passaram os últimos meses debruçados sobre os estudos dos quatro terminais desistiram.

Durante o período de concessão, os vencedores da disputa dos quatro aeroportos terão de investir mais de R$ 6 bilhões.

Além disso, a concessão dos quatro aeroportos representará uma arrecadação de, no mínimo, R$ 3 bilhões.

 

 

BEATRIZ CAVALCANTE