PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Prédio inclina e 16 famílias são retiradas de apartamentos

| Maraponga | Além do prédio, 12 casas vizinhas foram desocupadas. Moradores denunciavam problemas há duas semanas. Defesa Civil identificou inclinação na quinta, 30

02/06/2019 08:21:59
MORADORES saíram do edifício 
às pressas após ouvir um 
estrondo por volta das 16h
MORADORES saíram do edifício às pressas após ouvir um estrondo por volta das 16h (Foto: Julio Caesar/Julio Caesar)

Um prédio de quatro pavimentos inclinou cerca de 15 graus na tarde deste sábado, 1°, no bairro Maraponga, em Fortaleza. De acordo com tenente Romário Fernandes, do Corpo de Bombeiros (CBM), houve uma ruptura parcial das colunas de sustentação da estrutura. Ao todo, 16 unidades residenciais foram evacuadas para as inspeções no local. Não há feridos. Além dos moradores do prédio, doze casas vizinhas foram evacuadas.

Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e duas viaturas do Corpo de Bombeiros atenderam a ocorrência. Os moradores saíram do edifício às pressas após escutarem um estrondo por volta das 16 horas. "Todo mundo saiu correndo desesperado. Estamos só com a roupa do corpo", relatou o enfermeiro, Jarbas Torres, 38, morador do prédio.

Ele conta que há duas semanas o alicerce cedeu e o proprietário chamou um pedreiro, que constatou um vazamento na base do prédio. De acordo com ele, rachaduras começaram a aparecer, e a Defesa Civil foi acionada. "O proprietário contratou dois engenheiros, eles avaliaram e disseram que o risco era médio. Que ninguém corria o risco de perder a vida", relata.

Amauri Melo, agente da Defesa Civil, preparou um laudo técnico na quinta-feira, 30, informando da necessidade de fazer uma avaliação da estrutura do prédio, depois de ir pela segunda vez em menos de 15 dias ao local. "Orientei ao solicitante para chamar a imobiliária e o proprietário do prédio, para que pudessem fazer uma avaliação com o engenheiro". De acordo com Amauri, foi informado que o prédio precisava de cuidados imediatos, pois havia uma inclinação no edifício.

Amauri detalhou ter feito a medição dos cinco pilares alinhados. Segundo ele, percebeu-se o declive de uma das colunas e uma abertura no final do muro de 1,5 centímetros. "A gente percebeu que em cada base do pilar houve uma remoção. Foi colocado uma argamassa para uma suposta irregularidade da fundação", explica o agente.

Duas equipes da Defesa Civil do Município trabalharam ontem na remoção dos moradores. Foi disponibilizado transporte para que as famílias procurassem a casa de familiares ou amigos. O órgão também entregou cestas básicas, redes, colchonetes e mantas. (Com Ana Rute Ramires)

 

Ítalo Cosme

TAGS