PUBLICIDADE
Jornal
Liu man Ying

"A música transforma a vida das pessoas"

FORTALEZA, CE, BRASIL,  24-01-2019: Liu Man Ying, professora do curso de violino e violão da UFCl. (Foto: Alex Gomes/O Povo)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 24-01-2019: Liu Man Ying, professora do curso de violino e violão da UFCl. (Foto: Alex Gomes/O Povo) (Foto: Alex Gomes - Especial para O POVO/Alex Gomes - Especial para O POVO)

Chinesa que desembarcou em São Paulo, aos 4 anos, e, através do violino, instrumento que aprendeu a tocar ainda criança, vem transformando vidas. Essa é Liu man Ying, mestre em Musicologia, doutora em Música pela Universidade de São Paulo (USP) e professora do curso de Música da Universidade Federal do Ceará (UFC). Hoje, ela se apresenta no TEDxFortaleza, formato de palestra com até 18 minutos surgido nos Estados Unidos (EUA). Apesar da surpresa pelo convite, Liu diz que falará sobre música, claro, e esperança.

O POVO - Professora, tudo pronto para logo mais?

Liu man Ying - Sim. E a minha palestra vai versar justamente sobre a trajetória, esse caminho, cujo tema é realmente "música e esperança". Porque eu acredito firmemente que a música traz esperança e ela própria é a esperança para muita coisa.

OP - Passando desde a infância, percorrendo toda a sua formação acadêmica, desde a produção ao repasse do saber, como a senhora define a música?

Liu man Ying - A música é a vida que se transforma. Porque ela é vida e ela é transformação. Ninguém que entra em contato com a música sai do mesmo jeito. A música tem esse poder de transformação. Ela tanto pode edificar, como pode suscitar variadas emoções. A música transforma a vida das pessoas e a realidade que nós vivemos.

OP - A senhora nasceu na China. Como se deu a sua relação com o Brasil?

Liu man Ying - Eu sou de Taiwan. Nasci lá e, com 4 anos, a minha família imigrou para o Brasil. E eu cresci basicamente, a maior parte do tempo, em São Paulo. Lá eu fiz toda a minha formação. Fiz bacharelado em violino na USP, depois o mestrado em musicologia e o doutorado também na USP. E toda a minha pesquisa foi direcionada às metodologias de ensino coletivo de cordas. Que eu acho que é o que tenha chamado atenção do TEDx.

OP - A senhora acha que foi convidada por isso?

Liu man Ying - Eu creio que sim. O nosso trabalho com as metodologias de ensino coletivo de cordas - violino, viola, violoncelo e contrabaixo -, tem tido muitos bons frutos. Os grupos têm crescido e mais pessoas têm vindo para ter aulas. Em 2015, eu tinha uma turma com 20 alunos. Em 2016, a gente já conseguiu ampliar para 70. Aí em 2017 já foram entre 120 e 150. Em 2018, se inscreveram 535 pessoas. Este ano, para os grupos de extensão da UFC, se inscreveram 1.324 pessoas. O número tem crescido bastante, que, pra mim, é uma gratíssima surpresa. Porque num Estado, aonde não há uma escola estadual de música, de nível médio, pública, ou um conservatório estadual aberto ao público, sem ter que pagar... Um dos únicos do Nordeste que não tem uma Orquestra Sinfônica de Estado, assim, não dá pra entender muito bem.

OP - A senhora se surpreendeu?

Liu man Ying - Eu fiquei muito feliz de ter a oportunidade de compartilhar essa experiência. Porque é uma experiência, de ensino de violino, ensino de instrumento, ensino musical, que transforma a Cidade. Através do ensino da música e através do ensino do violino, a realidade da Cidade e do Estado já está sendo transformada e continuará sendo num círculo virtuoso.

Por Isaac de Oliveira

TAGS