PUBLICIDADE
Jornal
COMPORTAMENTO

Bolsolteiro por uma semana

A narrativa do repórter passou uma semana em grupo fechado de solteiros apoiadores de Bolsonaro

10/02/2019 02:03:27

Descobri por acaso, em uma postagem de Twitter, o grupo Bolsolteiros, dedicado a apoiadores do nosso atual presidente que querem se conhecer e reforçar afinidades políticas e matrimoniais. Em busca rápida pelo Facebook, encontrei o que procurava. "Grupo de relacionamento exclusivo para Bolsonarianos. E também pessoas com valores e que querem conhecer pessoas especiais, este é o grupo do AMOR!! Não é permitido Menores de Idade. Terminantemente Proibido qualquer tipo de discriminação".

O acesso aos integrantes e postagens é fechado, mas já era possível ver a quantidade de membros (3.268) e a data de fundação (14 de novembro de 2018). Animado para participar daquela festa, enviei solicitação de entrada ao administrador. Segundos depois, recebi um questionário com três perguntas. 1) Vc se compromete a respeitar as regras e denunciar postagens indevidas e atos ilícitos? 2) Você é solteiro? Seja honesto na resposta, por favor 3) Você pode incluir, ao menos, 03 HOMENS SOLTEIROS a este grupo?

Respondi o que imaginei que o administrador gostaria de ler e, poucas horas depois, tive minha entrada liberada. Na descrição do grupo, regras de convivência que proíbem a veiculação de palavras obscenas, de postagens sobre sexo, religião, política e futebol, e de fotos em lingerie, cueca ou sem camisa. Pessoas comprometidas também não podem usufruir do Bolsolteiros e estão sujeitas ao bloqueio sem aviso prévio.

*As aspas dessa reportagem preservam a linguagem da internet, do jeito que os integrantes do grupo escrevem.

DIA 1

Segunda-feira

3.268 membros

“Bom dia bolsolindos, bora trabalhar que a segundona chegou!” A saudação universal dos grupos de Whatsapp também existe aqui, fontes brancas em um letreiro cor de rosa. Ao longo da manhã, percebi que “bolsolindos” “bolsogatos” eram as formas de tratamento correntes no grupo.

Uma das primeiras postagens que encontrei mostrava uma morena musculosa, exibindo os bíceps, e a legenda “Mulher assim é feia ou bonita?” Quem começou a responder foi um rapaz que parecia sóbrio e equilibrado: “Assim como todas as mulheres, possuem belezas particulares… belezas diferentes…” Uma curtida. Em seguida, uma bolsogata disparou: “Qual mulher? Só tô vendo um macho!”. Chegou um bolsogato: “Mulher tem que ser elegante, sensual e não uma abominação dessas aí”. E a resposta a ele: “Na madruga tu encara hein mano?”

Paraibano que sou, fiquei curioso por uma brincadeira sugerida em outra postagem, com o selo “nordestino” e a palavra “bicicreta”. Os membros continuavam nos comentários abaixo: feisebuqui, gômito, sufá, sufrê, ingual, imbigo, menas, mortandela, bassora, barrer. Minutos depois, um rapaz inicia outra discussão postando um meme com a sentença “Se diploma universitário fosse sinônimo de inteligência não haveria professores gritando Lula Livre”. No campo de respostas, uma mulher que se identifica como professora em Goiás posta imagem da vereadora Marielle Franco com a legenda “Morri kkkkkk”.

Outra postagem, feita por uma mulher do Rio de Janeiro apaixonada por motocicletas, anunciava que “Homem de esquerda é aquele homem geralmente bonito, mas que é mulherzinha da mulher… #prontofalei”. A mesma usuária segue em outro momento: “Homem com H na minha casa não lava louça nem limpa chão! Eu optei por ser #MulherDireitaTradicionalConservadora. Quero um MACHO. NÃO CASTREMOS NOSSOS HOMENS.”

Uma mulher de Parnaíba, com fotos de seus filhos ilustrando seu perfil, comenta “Oxi! Estou solteira há 3 anos… mas tá mto difícil achar homens solteiros AFF!” A. R. respondeu a postagem: “A questão n é essa, vcs fazem uma penca de filhos, aí fica difícil”. O comentário dividiu opiniões. “Você é o típico cara machista, brocha e solteirão. Seria um milagre alguém querer se relacionar por amor com você, pois beleza não tem e caráter pelo visto também não”, contestou uma usuária.

DIA 2

Terça-feira

3.629 membros

Uma bolsogata paranaense abre o dia com a pergunta “Amizade com o sexo oposto é msm sem segundas intenções?”. L. F. responde que “se a mulher for feia realmente é sem segundas intenções. Masss se for uma bonita e solteira, confesso que rola uma certa atração sim”. A usuária N.M. comenta: “Só sei que se eu sentar no colo dos meus amigos eles não perdoam. E confesso que se eu sentar no colo de alguns deles eu tô afinzona”.

Os bolsogatos interessados em paquera aparecem. Um deles posta uma selfie com a blusa desabotoada e a legenda “É verdade que eu tenho cara de safado?” A usuária M.C. responde “Sim. Mas tem o pescoço lindo”. J.A. diz “De safado não de boiola sim, pq pra fazer uma postagem dessa tem que ser muito gay mesmo”. Outro rapaz, o clássico hipster barbudo, diz que cansou do Tinder, “mta esquerdalha!”

O dia é para a paquera, e uma brincadeira incentiva usuários: “Dê uma cantada na pessoa do comentário acima”. A lista que se segue é um exercício de criatividade. “Isso tudo é seu ou o marimbondo te mordeu?” “Será que seu pai é padeiro? Pra fazer essa rosca tão gostosa”. “Se beleza fosse bosta vc estava toda cagada”. “Se seu cabelo não bate na bunda, eu bato”. “Mulher… me joga no cocho, me chama de sal grosso, me lambe sua vaca”.

Finalmente, a usuária V.A. pergunta como os homens acham que as mulheres devem se vestir no primeiro encontro. M.V. é romântico: “Natural, cabelos soltos, pouca ou nenhuma maquiagem. Será um encontro para conhecer a verdadeira essência da pessoal. Já E.S. é assertivo: “Rabo de cavalo, roupa clara e bem perfumada”.

DIA 3

Quarta-feira

4.123 membros

Uma funcionária pública de Vitória está chocada. “Estava conversando com um rapaz que diz ser cristão; conversa vai conversa vem ele falou assim: eu tenho tempo que não como nenhuma mulher. Ouvi o áudio e exclui na hora. Que cristão é esse Brasil? E ainda com palavras chulas”. R. R. veio consolar a bolsogata: “Como que o cara começa a conversar com a moça e manda um áudio desse? Então a intenção do cara no grupo é só passar o cerol”.

Um taxista carioca escreve que “As mulheres são mais ardentes depois dos 40 anos”. T. A. responde: “Oi? Me chamaram?” R.B aparece em seguida: “Tenho mais de 50 e posso dizer que sim”. O bolsolteiro A. S. faz brincadeirinha que não é tão bem aceita: “Imunidade baixa, aí tem febre com mais facilidade”. O climão é dissipado pela postagem de um mineiro que pergunta se “alguma mulher quer ser desenhada”. Para mostrar seu talento, publica o desenho que fez do ministro Sérgio Moro.

Uma das postagens mais respondidas foi a de um rapaz barbudo que pergunta “Por que é tão comum Bolsonarista namorar/ficar com esquerdista?” L.R começa: “Prefiro ficar sozinha a me envolver com homem de esquerda”. D. S vai além: “Eu não namoraria com esquerda, só se for pra ter um assassinato kkkkkk”. A. E relembra o passado: “Meu ex-marido era PT e foi cantar em outra freguesia”. J. L. diz que “Homem que fica com esquerdista gosta de homem. Elas são estranhas, aparência suja, descabelada. Além de barraqueiras, falam alto, gritam. Uma bolsonarista é discreta, bonita, limpa, lisa”.

DIA 4

Quinta-feira

4.443 membros

A moça ruiva, de olhos verdes e seios fartos quer encontrar seu bolsolgato. “Sou de SP, tenho 25 anos, sem filhos, sem vícios, independente, moro sozinha, curto rock’n roll e memes. Procuro homem mais alto (tenho 1,72) branco, barba feita, voz grossa, cheiroso e que me leve pra viajar o mundo a começar pelo Egito. Se não for desse perfil, por favor, não perca seu tempo comigo!” R. C. responde com sua altura “1,85”, e com o link que leva até pacotes de viagem de uma agência de turismo.

Um rapaz magricela também faz suas exigências. “Olá, eu sou G., tenho 21 anos e sou de SP. Estou solteiro e procuro uma namorada. De preferência ruiva de olhos azuis, ou uma moça com olhos azuis, entre 18 e 21 anos. Pode ser pobre ou rica, e que não seja modinha”. G. C. não levou os apelos do colega de grupo a sério e respondeu “Pega o Pablo Vittar de lente”.

O dia é de anúncios em busca de amor. V. B, um rapaz de barba e olhos claros, diz que cursa o último ano de engenharia de petróleo e que procura “a pessoa certa pra formar o casal opressor dos sonhos”. D. S. cai na rede e responde: “Que gatinho, bem vindo opressor… Adoro os opressores”. Outro rapaz, musculoso, sem camisa, pergunta: “Não tem uma garota opressora reaça nesse grupo que seja de Porto Alegre?”

Um conhecido advogado do Rio de Janeiro, de currículo extenso e passagens pela Escola de Direito da FGV e pela The George Washington University, nos Estados Unidos, encerra o dia contando sua experiência traumática. “Fiquei solteiro quando descobri que estava namorando uma PSOLista que, na reta final do 2º turno, foi para o Largo do Machado com café, bolo e umas cadeiras de praia (uma que eu emprestei, inclusive) para convencer pessoas a ‘virar o voto’ para o (hehehe) ‘Mestre Haddad’. A incompatibilidade ficou clara”.

DIA 5

Sexta-feira

4.652 membros

Seguindo a tendência do dia anterior, um usuário posta suas exigências de mulher ideal: “Ser mais inteligente que a Dilma; Ser mais honesta que o Lula; Mais calma que a Maria do Rosário; Mais independente que o Haddad. Pode vir opressoragatas”.

Uma bolsogata loira, com perfil recheado de fotos do presidente, ensaia um post de inclusão: “Homossexuais no grupo? Apresentem-se! Sejam bem vindos”. A maioria das reações é de incentivo, os bolsolteiros parecem dispostos a respeitar diferentes orientações sexuais. E. C. responde que “Não toleramos nenhum tipo de desrespeito no grupo”. A. A. problematiza: “Por mim, não me desrespeitando tá bom. Mas tem muitos homossexuais que desrespeitam também”. M. A. esclarece que o grupo “só não aceita esquerdas, o restante é muito bem vindo”. E V. T. parece um pouco frustrada: “Aí a concorrência é desleal. Vou embora daqui kkk. Totó, vamos deixar essa gentalha”.

A sexta-feira chega ao fim com um anúncio que emociona boa parte dos bolsolteiros que ainda acreditam no amor verdadeiro. L. F., uma morena bonita que se define como “capitalista, conservadora, heterosexual, anti-vitimismo, anti-LGBT, a favor da família e apoiadora de Bolsonaro” avisa em um grande letreiro circundado por bexigas coloridas: “Desencalhei. Fui pedida em casamento ontem aqui no grupo”. B. S. é a primeira a cumprimentar a amiga: “Queremos sobrinhos opressores”. S. L. amplia seus desejos: “Na expectativa da primeira gestação do grupo”. E, como em todo círculo social, T. C. faz o papel de estraga prazeres: “Cuidado, peça referências porque o perigo está no ar. Confiar, só em Deus”.

Jáder Santana