Warning: include_once(includes/paginas/opovo/online/geral/header.php): failed to open stream: No such file or directory in D:\msx\wwwroot\portal\opovo\src\scripts\Includes.inc.php on line 305

Warning: include_once(): Failed opening 'includes/paginas/opovo/online/geral/header.php' for inclusion (include_path='.;C:\php\pear;D:\msx\wwwroot\portal\opovo\src/libs/google-api-php-client/src/') in D:\msx\wwwroot\portal\opovo\src\scripts\Includes.inc.php on line 305

VERSÃO IMPRESSA

Turbulência à vista uma nova eleição começa agora

00:00 | 09/09/2018

[FOTO1] 

A menos de um mês das eleições, o ataque a faca contra Jair Bolsonaro (PSL) na última quinta-feira precipitou a campanha presidencial numa nova etapa, obrigando os principais candidatos a alterarem o roteiro da disputa e a reconfigurarem discursos.

[SAIBAMAIS]

Tal como em 2014, quando o candidato Eduardo Campos (PSB) morreu em acidente aéreo, projetando a candidatura de Marina Silva e ameaçando a polarização PT-PSDB, o atentado ao capitão da reserva mergulhou a corrida eleitoral numa espiral de incertezas.

[FOTO2] 

Se o quadro já era volátil, com um líder de pesquisas preso em Curitiba e impedido de disputar e o vice-líder sem alianças e com parco tempo de tevê, a imprevisibilidade se acentuou.

 

Num primeiro momento, os postulantes mais bem situados na briga, entre eles Marina, Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB), cancelaram de imediato a agenda e suspenderam as críticas diretas a Bolsonaro.

 

O receio das equipes dos presidenciáveis é de que eventuais ataques ao militar fossem mal recebidos pelo eleitorado, conferindo ao parlamentar o trunfo da vitimização.

 

O maior afetado pelo ato de violência e seu impacto nas eleições presidenciais, entretanto, é o candidato tucano.

 

Principal crítico de Bolsonaro, o ex-governador de São Paulo dedicou a primeira semana de programas no horário eleitoral a desconstruir o postulante, expondo ofensas desferidas pelo militar contra mulheres o candidato tem sua maior rejeição exatamente no

segmento feminino.

 

O objetivo de Alckmin era cristalino: estancar a perda de votos em São Paulo, onde Bolsonaro avançava, melhorar o próprio desempenho e colar no concorrente o rótulo de intolerante.

 

Não houve tempo, porém, para que a estratégia se revelasse correta ou equivocada. No levantamento do Ibope divulgado na última quarta-feira, o militar cresceu dois pontos porcentuais, chegando a 22% dez à frente do segundo pelotão, que tem empate entre Marina e Ciro.

 

Sem o antagonista na parada hospitalizado, Bolsonaro deve ficar fora da campanha durante o primeiro turno e dificilmente retornará às atividades de rua , Alckmin terá de redirecionar seu poder de fogo.

 

Nesse ponto, a tática do presidenciável vai ser bifurcar, dividindo-se entre o presidente Michel Temer (MDB), com quem vem se engalfinhando pelas redes sociais e de quem pretende se descolar; e o segundo oponente mais forte na peleja, Ciro Gomes.

 

Ex-governador do Ceará, o pedetista também vai precisar redimensionar sua estratégia. O atentado contra Bolsonaro, no entanto, interfere menos nos seus planos do que nos de Alckmin.

 

Para o ex-ministro, importa neste momento consolidar seu nome entre o eleitorado lulista, principalmente na região Nordeste, que ele visitou neste fim de semana e onde espera colher o grosso dos votos para chegar ao segundo turno.

 

Tudo isso antes da entrada em jogo de uma figura que também causa rearranjo no momento em que for anunciada: Fernando Haddad. Prevista para depois de amanhã, dia 11 de setembro, a oficialização do vice de Lula na cabeça da chapa é outro evento cujos efeitos são difíceis de antecipar, sobretudo por se tratar de um nome que parte do lastro decisivo

do ex-presidente.

 

E há, ainda, o próprio Bolsonaro, que agora terá uma justificativa à mão para faltar aos debates televisivos, condição da qual o candidato do PSL certamente vai tirar proveito.

 

Pesquisa

 

Apesar da moderação no discurso, candidatos devem retomar o tom das campanhas a partir de segunda-feira, quando está prevista nova rodada do Datafolha.

 

Primeira desde o início do horário eleitoral e após o indeferimento da candidatura de Lula pelo TSE, a pesquisa capta ainda os efeitos do atentado a Jair Bolsonaro (PSL).

 

A sondagem é vital para a reorganização do discurso de campanha dos candidatos. A partir do resultado, será possível dizer que o capitão da reserva tem passe garantido para o segundo turno da disputa ou se ainda seu potencial pode derreter a menos de um mês das eleições.

HENRIQUE ARAÚJO

TAGS


Warning: include_once(includes/paginas/opovo/col.dir.php): failed to open stream: No such file or directory in D:\msx\wwwroot\portal\opovo\src\scripts\Includes.inc.php on line 305

Warning: include_once(): Failed opening 'includes/paginas/opovo/col.dir.php' for inclusion (include_path='.;C:\php\pear;D:\msx\wwwroot\portal\opovo\src/libs/google-api-php-client/src/') in D:\msx\wwwroot\portal\opovo\src\scripts\Includes.inc.php on line 305

Warning: include_once(includes/paginas/opovo/online/geral/footer.php): failed to open stream: No such file or directory in D:\msx\wwwroot\portal\opovo\src\scripts\Includes.inc.php on line 305

Warning: include_once(): Failed opening 'includes/paginas/opovo/online/geral/footer.php' for inclusion (include_path='.;C:\php\pear;D:\msx\wwwroot\portal\opovo\src/libs/google-api-php-client/src/') in D:\msx\wwwroot\portal\opovo\src\scripts\Includes.inc.php on line 305