VERSÃO IMPRESSA

Camilo diz não aceitar afronta de criminosos; conexão entre ataques é investigada

| REPERCUSSÃO | Governador evitou falar se, após ameaças, acatará ordem judicial para implantar, dentro de 180 dias, bloqueadores de celulares em presídios

00:00 | 25/03/2018

[FOTO1]
A conexão entre os ataques a um prédio dos Correios e à Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará (Sejus) está sendo investigada em conjunto pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) e a Polícia Federal, afirmou o titular da SSPDS, André Costa. O governador Camilo Santana (PT) afirmou que não vai aceitar “qualquer afronta de criminosos”, mas não respondeu se, após ameaças, acatará ordem judicial para implantar bloqueadores de celulares em presídios dentro de 180 dias.

[SAIBAMAIS]
As declarações foram feitas na manhã de ontem, durante solenidade que reuniu políticos para marcar implantação da quinta Unidade Integrada de Segurança (Uniseg) de Fortaleza, no Antônio Bezerra — mesmo bairro do ataque aos Correios, na última quinta-feira, 22.
 

De acordo com o titular da Segurança, o ataque foi detectado previamente pela Inteligência da Polícia. “Ontem (sexta-feira) à noite a nossa Inteligência detectou a ameaça. Tão logo chegou ao meu conhecimento, determinei que equipes ficassem no aguardo para ver se essa ameaça se concretizaria. A ordem foi de fazer tudo que fosse necessário para estancar, caso ocorresse. A gente sempre espera que não haja confronto, mas os bandidos foram efetivamente lá, efetuaram disparos”, afirmou André Costa.
 

Ele afirmou que um dos homens ia lançar uma granada contra o prédio quando foi atingido por disparos dos policiais. A granada teria caído próximo a ele, ainda segundo Costa. Ao final do confronto, que aconteceu por volta de 1h30min, três criminosos foram conduzidos a uma unidade hospitalar, mas não resistiram aos ferimentos e vieram a óbito. Com eles, foram apreendidas armas e uma granada.
 

O caso está sendo investigado pela SSPDS. O órgão, juntamente com a PF, responsável pela apuração do caso dos Correios, deve investigar se há conexão entre as duas ocorrências. “Vamos sentar, os investigadores com a Polícia Federal, para saber se tem algo”, respondeu o secretário, questionado sobre possível ligação entre os casos.
 

No primeiro ataque, foram deixadas mensagens ameaçadoras ao governador Camilo Santana (PT), ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), à Assembleia Legislativa, além da sede do Governo do Estado, bancos e lotéricas, postos de combustíveis, refinarias, antenas de telefonia, rádios e televisão, portos, aeroportos e redes de transmissão de energia elétrica.
Após tentarem sem sucesso invadir o prédio, os criminosos derramaram gasolina na tentativa de incendiar a agência, mas também não tiveram êxito. 

 

Mensagens de apologia ao crime foram encontradas espalhadas na rua Góis Monteiro, que dá acesso ao prédio, e em calçadas do entorno. “Se o senhor colocar bloqueador nos presídios, simplesmente iremos fazer o caos completo aqui no Estado. Você não conseguirá se reeleger, não terá mais credibilidade do povo”, consta em uma das cartas direcionadas ao governador.
 

No evento na manhã de ontem, Camilo afirmou que não irá ceder diante das ameaças. “Nem a Polícia, nem o Estado vão aceitar qualquer forma, qualquer afronta de criminosos com o Estado e com a Polícia. Não vamos arredar um milímetro de garantir mais tranquilidade ao povo de Fortaleza e ao povo do Ceará”, frisou.
 

O chefe do Executivo ressaltou que a resposta da Polícia seguirá como a registrada na madrugada deste sábado, no ataque à Sejus. “Repito: nós não vamos aceitar nenhuma afronta de criminosos no Ceará. Nossa resposta será sempre firme e atuante da Polícia como foi dada em todos os crimes cometidos aqui em Fortaleza”, disse.

 

BASTIDORES


Conhecido pelo discurso de oposição à política de segurança no Ceará, o deputado federal Cabo Sabino (Avante) esteve ontem no evento de implantação da Uniseg no Antônio Bezerra. Esteve ao lado do governador Camilo Santana, inclusive no palanque. 

TAGS