PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Confronto das ideias. Entrou em vigor, em 1º de janeiro, a tarifa branca. Nesse sistema, há três preços: o mais caro, o intermediário e o fora da ponta. Essa modalidade deixará a conta de energia mais barata?

00:00 | 14/01/2018

 

SIM

Joaquim Rolimjcrolim@sfiec.org.brCoordenador do Núcleo de Energia da FIEC – Federação das Indústrias do Estado do Ceará.

 

A energia elétrica tem papel fundamental na qualidade de vida das pessoas. Difícil imaginar a convivência sem este insumo tão importante, associado a qualidade e preço adequados.

 

Em diversos países o consumidor já pode escolher o seu fornecedor, a melhor forma de consumo, e a fonte geradora de energia. No Brasil ainda temos a figura do consumidor cativo, que é aquele que não tem a possibilidade de escolha, comprando sempre da distribuidora de energia local.

 

Nos últimos anos, a energia elétrica no Brasil tem sido impactada por sucessivos aumentos de preços e o setor industrial tem sido diretamente afetado por isto. Felizmente começaram a surgir novas possibilidades, como é o caso da tarifa branca, que permite ao consumidor do Grupo B (Baixa Tensão), que possua consumo médio mensal superior a 500kWh/mês, optar por pagar preços variáveis pela energia conforme o dia e o horário do consumo.

 

• De Ponta (das 17:30h às 20:30h). A energia elétrica custa cerca de duas vezes a atual tarifa convencional.

 

• Intermediário (das 16:30h às 17:30h e das 20:30h às 21:30h). A energia elétrica custa cerca de 20% a mais que a atual tarifa convencional.

 

• Fora de Ponta (das 21:30h às 16:30h), e todos os horários aos sábados, domingos e feriados. A energia elétrica custa cerca de 20% a menos que a atual tarifa convencional.

 

Se o consumidor adotar hábitos que priorizem o uso da energia no horário fora de ponta poderá reduzir custos. Entretanto, caso não haja um controle adequado, os custos poderão aumentar.

 

Importante ressaltar que o consumidor poderá solicitar o regresso à Tarifa Convencional.

 

Esta oportunidade poderá propiciar, para as indústrias e o comércio de pequeno porte, redução de custos e ganhos de competitividade, como melhorias nos orçamentos das famílias, no caso das residências enquadradas aos requisitos.

 

NÃO

 

Marcus Peixotommf@secrel.com.brEng. eletricista e diretor da LAP EngenhariaA tarifa branca é uma nova modalidade tarifária para os consumidores atendidos em baixa tensão (380/220V), onde os mesmos terão preços diferenciados da energia elétrica, em função da hora, e do dia que a utilizam.

 

Até então, esses consumidores só tinham a opção da tarifa convencional, onde o preço é o mesmo para todas as horas do dia, e todos os dias da semana.

 

Com isso, caso haja a possibilidade de reduzir o consumo nesse período que a energia é mais cara, o consumidor terá no final do mês, uma conta mais barata para pagar.

 

Isso poderá ser feito com uma mudança de hábito, evitando o uso de alguns aparelhos domésticos nesse período, como por exemplo : chuveiro elétrico, aparelhos de ar condicionado, máquina de lavar, dentre outros. Ou seja, quanto mais o consumidor deixar de usar esses equipamentos entre 16:30 h e 21:30h, e quanto maior for a diferença entre a tarifa convencional e a tarifa fora da ponta, maiores serão os benefícios da tarifa branca.

 

Caso não seja possível deixar de usar esses equipamentos no horário mais caro, ou o consumidor até tenha um aumento no uso da energia elétrica nesse período, a tarifa branca poderá trazer um aumento no valor da conta. Isso poderá ocorrer em alguns casos de consumidores comerciais, como também em pequenas indústrias atendidas em baixa tensão.

 

O melhor exemplo para esta situação, são pequenas indústrias que trabalham por turnos nos dias úteis e não param no horário de ponta; aos sábados tenham um horário menor de trabalho, e não funcionem aos domingos, certamente a tarifa branca não será vantajosa.

 

Portanto, antes de optar por essa nova modalidade, recomenda-se que seja feita uma análise do perfil de consumo, e uma avaliação dos equipamentos que possam ser desligados nesse período que a energia é mais cara.