PUBLICIDADE
Jornal

Morador de rua. Corpo é encontrado na Avenida Beira Mar com sinais de tortura

A vítima não foi identificada, mas o levantamento da Polícia apurou que era um morador em situação de rua

05/08/2017 17:00:00

Cotidiano

O corpo de um homem em situação de rua foi encontrado na Avenida Beira Mar, em Fortaleza, na manhã deste sábado, 5. A informação foi confirmada pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).
 

Conforme o órgão, a vítima do sexo masculino não foi identificada, mas os levantamentos da Polícia constataram que era uma pessoa em situação de rua que praticava atos obscenos contra mulheres e crianças. Segundo o titular da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Levy Lousada, a vítima tinha histórico de tentativa de estupro contra uma moradora de rua e uma criança. “Era praxe dele a realização de atos obscenos no local, inclusive por ser um ponto de namoro de casais”, disse. 


O corpo foi encontrado com lesões provocadas por golpes de faca, estava próximo a um paredão de pedras e envolto de um colchão. A vítima teve o órgão genital amputado e colocado na própria boca. A Perícia Forense constatou que o corpo estava ali há pelo menos 24 horas. “O corpo estava envolto a um lençol, havia uma corda no pescoço da vítima, ambos os materiais foram apreendidos e serão periciados para coletar material genético do responsável por colocar ele naquele lugar. Além do lençol havia um colchão com a finalidade de dificultar o achado do cadáver”, informou Louzada.
 

A Polícia conseguiu colher a informação de que o crime aconteceu a poucos metros do local onde a vítima foi encontrada. E a 40 metros de uma cabine da Polícia Militar e da Guarda Municipal. A vítima possuía rixa com diversos moradores de rua devido ao histórico de realizar atos obscenos. O delegado Levy Louzada disse que iria requisitar as imagens do circuito de segurança que mostram a ação.
 

Segundo o comandante do Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), tenente-coronel Clairton Abreu, a vítima estava em uma área afastada e havia um colchão por cima do corpo. O oficial diz que no local o fluxo de moradores de rua é grande, mas afirma que há câmeras no e policiamento 24 horas.
 

Segundo um policial que pediu para não ser identificado, o policiamento não é suficiente para suprir a área turística do BPTur e há muitas ocorrências envolvendo turistas nas praias do litoral leste e oeste. Na Beira Mar e na Praia do Futuro, as ocorrências também estão se intensificando. A Polícia aguarda a publicação de uma lei nova de organização para resolver a situação do policiamento na área turística.

Jéssika Sisnando

TAGS