PUBLICIDADE
Jornal

Cariri. Concluído maior túnel do Cinturão das Águas

A obra fará o transporte de águas da transposição do rio São Francisco ao açude Castanhão, uma das principais fontes de abastecimento da Região Metropolitana

10/06/2017 21:30:00
NULL
NULL


Eduarda Talicy
ENVIADA A MISSÃO VELHA*
eduardatalicy@opovo.com.br

[FOTO1] 

O túnel Veneza, considerado um dos mais importantes trechos do Cinturão das Águas do Ceará (CAC), foi concluído na manhã de ontem. Localizado no município de Missão Velha, na Região do Cariri, o equipamento tem cerca de 2,4 quilômetros de extensão. Uma das principais obras de garantia de abastecimento de água para o Cariri, o CAC deverá tornar mais eficiente o transporte de água para a Região Metropolitana de Fortaleza.

 

O processo de conclusão do túnel contou com a presença do governador Camilo Santana, que acendeu o dispositivo que implodiu a divisória entre os dois trechos do túnel. “Essa é a união que resulta no mais importante túnel de todos os trechos. Hoje é um dia importante para essa obra, que vai contribuir muito para a questão hídrica do Ceará quando recebermos as águas do Rio São Francisco”, afirmou o governador. Com a finalização desta etapa que faz parte do Trecho I, no Lote 5, o Cinturão das Águas tem 53 quilômetros de trecho concluído.

 

“Houve diminuição na velocidade da obra no fim de 2014 por conta do contingenciamento de recursos da União, mas a partir do ano passado retomamos a obra e priorizamos um trecho, de onde vai começar a receber água da barragem de Jati em direção a Nova Olinda”, explicou Camilo. Ele acrescentou que o valor mensal da intervenção é de R$ 30 milhões.

Transposição
O governador afirmou que nesta terça-feira irá a Brasília se reunir com a atual ministra do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, para solicitar a decisão de retomada das obras que estão paralisadas desde que a antiga empresa responsável, Mendes Júnior, abandonou o contrato. Camilo disse que a recarga de açudes foi baixa e que a garantia de segurança hídrica para o Estado é a chegada das águas da transposição. Em caso de retomada das obras ainda em junho, a previsão feita pelo governador é que a transposição para o Ceará ocorra no início de 2018.

 

O titular da Secretaria dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, reconheceu que, apesar de chuvas na média, o Estado permanece em situação crítica: “Infelizmente a chuva caiu de forma irregular, mais na região Centro-Norte no Estado e pouco no Sul. Os maiores açudes, Orós, Castanhão, Banabuiú, não tiveram recarga significativa. Não tivemos uma recarga suficiente para sair da chamada seca hidrológica”. Ainda assim, segundo ele, o sistema metropolitano recebeu recarga passando de 14% para 49%, o que garante água para Fortaleza até 2018.

 

O Cinturão das Águas permitirá a transferência de vazões excedentes da transposição do rio São Francisco para os açudes Castanhão e Orós.

 

* A repórter viajou a convite do Governo do Estado

 

Adriano Nogueira

TAGS