PUBLICIDADE
Jornal

Eleições diretas. PSB deixa a base de Temer e defende renúncia

Após a delação da JBS, partidos começaram a deixar a base aliada do Governo. O Podemos (antigo PTN) foi o primeiro. Agora, executiva do PSB também decide se afastar

20/05/2017 17:00:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Com 35 deputados federais e sete senadores, o PSB é o terceiro partido a decidir sair da base aliada do governo Michel Temer (PMDB). A decisão foi tomada em reunião da Comissão Executiva Nacional do partido realizada na manhã de ontem, em Brasília.


Além de fazer oposição e pedir a renúncia do presidente, o partido passará a defender a aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para a realização de eleições diretas no caso de vacância do cargo da Presidência da República. Informação foi confirmada pelo secretário-geral do PSB, José Renato Casagrande.


A debandada após as delações da JBS contra o Governo pode ser maior. O deputado federal Domingos Neto (PSD-CE) disse ao O POVO que o PSD, que possui 37 deputados, ainda aguarda novos desdobramentos para tomar uma decisão. “Todos os partidos estão mais ou menos na mesma e marcando uma reunião de bancada com a executiva do partido terça à tarde em Brasília”.


A preocupação de Domingos é com o atraso no calendário de aprovação das reformas, que está suspenso. “Espero que possamos chegar numa solução rápida.


A maior gravidade de todos é a do Ceará. Difícil avaliar, todos os partidos estão avaliando nesse momento para poder chegar numa posição no início da semana”, diz.


Outros partidos

Com bancada de 13 deputados, o PTN foi o 1º partido aliado a anunciar oficialmente, na quinta-feira, 18, o rompimento com o governo Temer. A sigla afirmou que assume posição de "independência", devendo entregar cargos que possui no governo. O principal é a presidência da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

 

Já o PPS chegou a anunciar saída da base, mas voltou atrás. Logo que as delações da JBS foram divulgadas, o ministro da Cultura, Roberto Freire (PPS), entregou o cargo. O PSDB também deve sair da base aliada do Governo. Até porque deputados do partido protocolaram pedido de impeachment assinado por pelo menos sete parlamentares. (Beatriz Cavalcante, colaborou Letícia Alves)

 

Adriano Nogueira

TAGS