VERSÃO IMPRESSA

Comida congelada. É prático. E pode ser saudável!

O consumo de comida congelada cresceu. O mercado se aperfeiçoa e os clientes estão satisfeitos com o sabor e a praticidade. O sábado pode ser um ótimo dia para planejar o cardápio da semana

01:30 | 27/01/2018


Somos o país latino-americano que mais consome comida congelada. Pesquisa da empresa especialista em comportamento de consumo, Kantar Worldopanel, constatou que 61% dos brasileiros optam por marmitas congeladas e menus prontos.

 

De olho nessa fatia do mercado, é possível encontrar opções para diversos segmentos. Alimentos funcionais, light, mais saudáveis, sem glúten ou lactose, veganos, vegetarianos. Em Fortaleza, o novo tipo de gastronomia ganhou força há uns cinco anos, quando profissionais da área viram uma oportunidade promissora. Alguns alimentos até perdem um pouco dos seus nutrientes naturais. Mas se o processo for feito com cuidado, seguindo padrões de segurança, a falta de tempo para cozinhar não precisa ser justificativa para comida sem qualidade.

 

“É melhor você consumir uma comida congelada natural, até feita na sua casa, do que ir a um restaurante que não ofereça opções saudáveis. Assim como as frutas. Congela, é melhor perder um pouco de nutrientes do que não comer”, avalia a nutricionista Fabiana Fontes. Ela ressalta que é importante também o consumidor conhecer a cozinha que produz seus alimentos.

 

O estudante Francesco de Raphael Brasileiro Gondim almoça, todos os dias, comida congelada do tipo low carb (com baixo teor de carboidratos). O hábito teve início há cinco meses, uma forma de manter a forma e a praticidade da rotina. “Recebo tudo pronto semanalmente, vou descongelando a cada dia. O sabor é ótimo e o cardápio precisa ser bem variado”, afirma.

 

Para o químico e doutor em Ciência do Alimento, Paulo Henrique Machado, a atenção quando se consome comida congelada deve ser voltada, na verdade, para o descongelamento. “É onde acho que importa mais, precisa da temperatura correta. Tem muita gente que ainda descongela comida no sol. Isso dá alterações microbiológicas seríssimas”, alerta.

 

CONGELAMENTO

> Quanto mais rápido, mais seguro

> O tempo de congelamento é fundamental para que não haja perda de nutrientes

> Máquinas de congelamento rápido o fazem em minutos

> No freezer de casa, o processo leva aproximadamente 1h30min.

> O freezer que reúne muitos alimentos congelados deve estar a uma temperatura de 5 a 10 graus negativos

 

DESCONGELAMENTO

> Nunca descongelar no sol

> O mais indicado é que o descongelamento seja feito na geladeira por 48 ou 24 horas

> No caso de precisar transportar, o descongelamento pode acontecer na temperatura ambiente ou em uma bolsa térmica. Mas para o consumo nas horas seguintes

> Pode ser feito também no microondas ou no forno convencional

> Um alimento descongelado não deve ser congelado novamente

> Fique atento à formação de cristais de gelo, o que pode demonstrar que já houve um descongelamento

> No supermercado, os alimentos congelados devem ser os últimos
a serem pegos

 

NUTRIENTES E VITAMINAS

> Alimentos que possuem vitaminas hidrossolúveis (solúveis em água), como vitamina C e outras do complexo B (B1, B2, B6, B12, ácido fólico), têm grande perda nutricional quando em contato com o oxigênio

> Para cozinhar legumes e evitar a perda de nutrientes, o indicado é que seja a vapor. Caso não seja possível, o ideal é colocar os legumes na água já em fervura, para que o cozimento seja mais rápido

> Cortar os alimentos antes de cozinhar facilita o cozimento

 

FREEZER E CONGELADOR

> No freezer, onde a temperatura é mais alta, os alimentos podem ficar congelados por até seis meses

> No congelador, esse prazo cai para até quatro meses

> Evitar flutuação de temperatura

> A opção de congelamento rápido deve ser acionada quando se coloca um alimento não congelado no refrigerador

TRANSPORTE

> As marmitas congeladas devem ser transportadas em ambiente refrigerado, como uma bolsa térmica com gelo

 

RÓTULO

> As marmitas devem conter rótulo que traga informações sobre o valor nutricional e a composição dos alimentos, além de detalhes como o tipo de gordura presente, se há sal ou conservantes

 

EMBALAGEM

> Embalagens de plástico e alumínio podem transmitir toxinas para os alimentos

> Se for de plástico, o ideal é que seja livre de Bisfenol A, composto que pode estar ligado a câncer

> O ideal é que seja termoformada e biodegradável > A tampa precisa ser
100% vedada

 

CONSERVANTES

> Menus congelados de forma industrial tendem a possuir mais conservantes. Eles são prejudiciais ao corpo humano

 

SABOR

> O segredo para que a comida congelada não perca o sabor está nos temperos. Alecrim, mostarda, manjericão, tomilho são alguns condimentos que reforçam o sabor

> Alimentos com molho são mais propensos a sofrer perda de sabor

TIPOS DE ALIMENTOS

> Folhas não são congeladas porque acabam queimando com o excesso de frio

> Para as sopas, é preciso que sejam congeladas quando estiverem mornas

> Carnes congeladas têm validade menor. Quanto mais gordura, menos tempo de validade

 

Fontes: nutricionista Fabiana Fontes (Clínica Reviva Nutrição - 3063-2883); químico e doutor em Ciências do Alimento, Paulo Henrique Machado; e o professor do Departamento de Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal do Ceará (UFC), Cláudio Ernani.

 

TAGS