VERSÃO IMPRESSA

Fortaleza é a 3ª cidade com mais matrículas em tempo integral

Em 2017, Fortaleza teve 56 mil alunos da educação básica em tempo integral. Rio de Janeiro e São Paulo lideram ranking

01:30 | 06/01/2018
[FOTO1] 

Um total de 56.065 alunos cursaram o ensino fundamental em tempo integral em Fortaleza em 2017. O número faz da Capital a terceira cidade do País em quantidade de alunos matriculados em regime estendido de horas, entre o 1º e o 9º ano. Disparado em primeiro lugar, o Rio de Janeiro recebeu 207.072 matrículas. Em, segundo, vem a cidade de São Paulo, com 80.509. Os dados são do Censo Escolar 2017, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).


Fortaleza tem, atualmente, 21 escolas que funcionam de segunda a sexta-feira, das 7 horas às 16h40min (uma média de oito horas/aula por dia). A ideia é chegar ao fim da gestão do prefeito Roberto Cláudio, com 40 escolas de tempo integral.


Os alunos são beneficiados em três aspectos, quando matriculados em sistema de tempo integral, segundo o secretário-adjunto da Educação de Fortaleza, Jefferson Maia. O primeiro aspecto se deve ao tempo maior de exposição aos conteúdos e às atividades esportivas; o segundo está relacionado à proteção social que o estudante recebe estando dentro da escola; o terceiro, segundo Jefferson Maia, é o ganho em saúde, já que os estudantes têm acesso a três refeições balanceadas e acompanhadas por nutricionistas.


Nestas unidades, ainda de acordo com Maia, existem as disciplinas de base curricular comum, como português e matemática. No contraturno, os estudantes participam de reforço escolar, prática de esportes e de um projeto de cidadania, que é o acompanhamento individualizado dos alunos pelos professores. “A tendência é que o currículo se aprimore com a aprendizagem dos alunos”, informa o gestor.


Projeto pedagógico


O pedagogo e professor aposentado da Faculdade de Educação, da Universidade Federal do Ceará (UFC), Idevaldo Bodião, lembra a frase dita pela hoje vice-governadora do Ceará, Izolda Cela, enquanto titular da Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), sobre o planejamento da educação em tempo integral. “Ela disse que ‘mais do mesmo não adianta’. É preciso pensar um projeto pedagógico e uma matriz curricular para que cada disciplina seja explorada”.


Ele defende que a proposta de educação integral pede uma nova concepção de educação, uma escola plural.


Ao sair da educação infantil e entrar na educação fundamental, a criança passa a ter visão mais ampla do bairro e da cidade. A compreensão das ciências da natureza também se amplia, o que possibilita melhor compreensão do mundo. “O cotidiano representa a espinha dorsal do conteúdo pedagógico”. Para ele, o estudante não vai aprender matemática apenas pela matemática, mas porque o conteúdo vai estar inserido no cotidiano.

 

Ranking


Número de matriculados no ensino fundamental em escolas de tempo integral


1. Rio de Janeiro: 207.072

2. São Paulo: 80.509

3. Fortaleza: 56.065

4. Belo Horizonte: 53.181

5. Curitiba: 51.629

6. Goiânia: 26.256

7. Manaus: 26.085

8. Palmas: 25.815

9. Campo Grande: – 15.958

10. Recife: 15.403

 

Fonte: Inep/Censo Escolar 2017

 

ANGÉLICA FEITOSA

TAGS