PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Jovens e Guarda Municipal entram em confronto no Cuca Jangurussu

01:30 | 17/10/2017
Jovens e guardas municipais protagonizaram tumulto dentro do Centro Urbano de Cultura, Arte, Ciência e Esporte (Cuca) Jangurussu. O caso ocorreu no domingo, 15, quando um grupo de crianças e adolescentes entrou no equipamento para aproveitar a piscina. O Cuca, entretanto, estava fechado.

 

“A Guarda chegou apontando armas. Num instante, já tinha várias viaturas. E quando todo mundo saiu, os guardas começaram a revistar quem estava do lado de fora. Nunca pensei que agiriam daquele jeito com um monte de criança”, conta um dos alunos do Cuca, morador do bairro, que preferiu não se identificar. Conforme ele, o equipamento costumava liberar a piscina para uso de lazer — além das aulas da natação —, mas, devido a ‘problemas’, a cessão acabou. “Isso foi em julho, depois não abriram mais. No lugar de resolver o problema, preferiram fechar e pronto”, acrescentou.

De acordo com o titular da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude, Júlio Brizzi, nos três Cucas (Barra do Ceará, Jangurussu e Mondubim) há uso recreativo da piscina aos sábados. “A gente faz um diálogo com os jovens e muitas vezes ocasionado por situações como essa, onde os jovens se juntam, pulam o muro quando o equipamento está fechado”, afirmou. Aos domingos, conforme Júlio, as piscinas passam por manutenção.

Ele ponderou ainda que a piscina é profunda, o que exige acompanhamento de um profissional. “Pode acontecer uma tragédia, uma criança ou adolescente pode se afogar”.

Por nota, a Guarda Municipal afirmou que solicitou que o grupo saísse da piscina. “A solicitação não foi atendida, houve um princípio de tumulto e a equipe teve que chamar reforço, que fez a dispersão. Pela resistência apresentada, houve a necessidade de uso progressivo de força, culminando com a utilização de bala de borracha”.