VERSÃO IMPRESSA

Foco da Sesa é acompanhar as crianças

01:30 | 30/10/2017

Neste ano, o Ceará não registrou confirmação de recém-nascidos com microcefalia associada ao zika. No contexto nacional, a epidemia também desacelera. De 2015 até julho de 2017, de acordo com o Ministério da Saúde, foram confirmados no Brasil 2.869 casos de síndrome congênita associada ao vírus.


A Sesa foca agora em intensificar o acompanhamento das crianças. “É muito importante que a gente pense agora que precisa melhorar a qualidade da assistência na atenção primária”, entende a supervisora do Núcleo da Saúde da Mulher, Criança e Adolescente da Sesa, Silvana Napoleão. De acordo com ela, os pequenos acompanhados pelo Estado recebem estimulação precoce duas vezes por semana. “A melhor forma é chegar ao domicílio da criança e também dar apoio psicossocial pras mães”, projeta.

ADRIANO NOGUEIRA

TAGS