PUBLICIDADE
Jornal

Sete detidos por tortura e morte de duas jovens na Barra do Ceará

Doze pessoas teriam participado do duplo homicídio. Sepultamento foi mudado de lugar após ameaças

19/09/2017 01:30:00
A tortura e morte das amigas Luzyara Rodrigues dos Santos, 16, e Karolina Moraes de Melo, 18, neste fim de semana, resultou em sete pessoas detidas suspeitas do crime, que foi motivado por uma discussão em um ônibus, na Barra do Ceará. A Polícia afirma que pelo menos 12 pessoas estão envolvidas. Ainda falta capturar cinco pessoas, incluindo os três executores. As famílias das jovens foram obrigadas a mudar o lugar do sepultamento para o Antônio Bezerra, após ameaças de que os corpos seriam carbonizados no cemitério do Bom Jardim. O enterro, realizado ontem, teve escolta policial.

[SAIBAMAIS] 

Segundo o escrivão do 7º Distrito Policial Hudson Pimenta, a discussão aconteceu no sábado, 16, por volta das 20 horas. Pelo menos seis meninas embarcaram no coletivo na avenida Coronel Carvalho, Barra do Ceará, com destino a uma festa de reggae no Oitão Preto. No ônibus, elas foram identificadas como moradoras do bairro Padre Andrade por um grupo rival de 12 pessoas, sendo oito homens. A adolescente que teria identificado as jovens foi apreendida.


“Essa adolescente apreendida começou a insuflar os outros contra as moças. No momento da confusão, o motorista do coletivo abriu a porta do meio e algumas das meninas pularam a catraca e fugiram. A Luzyara e a Karolina foram puxadas e foram agredidas nesse ônibus”, disse o inspetor. As jovens sumiram após desembarcarem com o grupo. No dia seguinte, foram encontradas mortas.


Segundo o relato de uma das testemunhas, em entrevista ao O POVO, uma das vítimas disse no ônibus: “Aqui é tudo dois, não passa nada”, exaltando facção criminosa do Padre Andrade, rival do grupo que também estava no ônibus. Conforme a testemunha, os homens queriam filmar as jovens fazendo o símbolo do “Tudo três”, referente à facção criminosa deles, mas elas se recusaram. A negativa teria irritado ainda mais o grupo. “A que começou tudo (adolescente apreendida) deu chutes na Karolina e ela caiu”, disse.


Os corpos das meninas foram encontrados no Morro de Santiago, na Barra do Ceará, e apresentavam sinais tortura. As duas estavam com a cabeça raspada, apresentavam lesões por espancamento e pichações no corpo com nome da facção rival.


Hudson explica que a investigação conseguiu primeiro identificar a adolescente que insuflou o grupo. A partir da apreensão dela, outros suspeitos foram identificados e presos. São eles: Antônio Francisco Nascimento Felipe, 18, Rivania Emili Nascimento Cândido, 18, Paulo Sérgio da Silva, 29, Lucas do Nascimento de Oliveira, 18. Três adolescentes com 17 e 16 anos foram apreendidas. Todos foram reconhecidos pelas testemunhas.


As investigações para prender o restante do grupo devem ficar a cargo do 33º DP. A Polícia tenta encontrar o coletivo onde aconteceu a discussão para solicitar as imagens das câmeras. O motorista deve ser indagado sobre por que a confusão e as agressões não foram denunciadas à Polícia.

 

Números


12 pessoas entre mulheres, homens e adolescentes teriam participado do crime

 

Jéssika Sisnando

TAGS
NULL