PUBLICIDADE
Jornal

Presos e testemunhas de duplo homicídio trocam ameaças em delegacia

19/09/2017 01:30:00
Na tarde de ontem, na entrada da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), presos, apreendidos, testemunhas e sobreviventes trocavam ameaças. “Você vai ser a próxima”, dizia um dos presos. Por outro lado, uma das sobreviventes também gritava ameaças e palavrões contra os presos.

 

Na saída da DCA, para ser conduzido ao 7º Distrito Policial, o grupo de presos ainda discutiu com familiares. Uma agente do poder judiciário tentava acalmar os ânimos exaltados.


Familiares das vítimas alegam que estão sofrendo ameaças nas redes sociais e que passaram a ter acesso a fotos das meninas sendo torturadas. O POVO constatou que, no perfil do Facebook de familiares, existem ameaças mútuas. Há intimidações partindo de membros da facção rival ao grupo das meninas, que, por sua vez, tem revidado com promessas de vingança.


A mãe de duas das sobreviventes disse ao O POVO que as meninas sempre andavam juntas. Para ela, o fato das jovens terem sobrevividos foi um “livramento”. Ela reitera a dificuldade de criar as filhas em meio à violência da comunidade. “Sou faxineira, diarista, lavadeira. Faço tudo para dar a ela de comer. A gente conversa com elas, mas elas acham que é ruim. Mãe e pai não dão conselhos para o mal. Nunca fui para porta de delegacia como hoje. Fui saber da morte das duas meninas no outro dia. Estou preocupada com as minhas”, disse. (Jéssika Sisnando)

Adriano Nogueira

TAGS
NULL