PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Papel da escola na prevenção ao suicídio é tema de debate

01:30 | 14/09/2017

Encontro foi realizado no Espaço O POVO de Cultura & Arte MATEUS DANTAS
Encontro foi realizado no Espaço O POVO de Cultura & Arte MATEUS DANTAS

 

 

A escola também deve ser espaço de cuidado, afeto e prevenção. Pautados nessa premissa, gestores, psicólogos, professores e estudantes se reuniram ontem para o debate “O papel da escola na prevenção ao suicídio”. A ideia é estimular projetos para sensibilizar e subsidiar o ambiente educacional diante da temática do suicídio.

 

O encontro, iniciativa da Secretaria da Educação do Ceará (Seduc) em parceria com a Secretaria da Educação do Município (SME), ocorreu ontem no Espaço O POVO de Cultura & Arte, no bairro José Bonifácio. As discussões a respeito de criação de núcleos de mediação nas escolas e iniciativas de valorização da vida se deram em razão da campanha Setembro Amarelo.

“No Brasil, existe uma epidemia de jovens se matando. Há um pico exatamente entre 15 e 29 anos, e é na escola que esses adolescentes e jovens estão”, citou o psiquiatra e professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), Fábio Gomes de Matos. De acordo com ele, a escola deve ser um ambiente terapêutico, acolhedor, preventivo e de encaminhamento para esses estudantes. “Para isso, é preciso que a comunidade escolar esteja treinada, que professores e estudantes estejam atentos. Isso é fundamental para a redução dessas taxas”, indicou.

No encontro, professores, coordenadores e alunos expuseram projetos realizados em escolas públicas do Estado.

Segundo Betânia Gomes, orientadora da Célula de Mediação Social e Cultura de Paz da Seduc, a palestra integra uma série de ações da pasta. O objetivo, de acordo com ela, é fortalecer a discussão, as ações no meio educativo e o protagonismo dos estudantes. “A escola deve ser também esse local de proteção, de acolhimento, de afeto e de abraço”, reforçou.