PUBLICIDADE
Jornal

O que noivas devem observar antes de fechar contratos para a festa

Diante da repetição de casos de contratos de prestação de serviços não honrados, especialistas dão dicas de como o consumidor deve agir

07/07/2017 01:30:00

Contratar um serviço para uma ocasião especial e descobrir que o prestador não honrará com o acordado em contrato. A situação, muitas vezes denunciada como golpe, é recorrente e quem contrata precisa estar atento a detalhes para não ser prejudicado. Em Fortaleza, no último ano, aconteceram pelo menos quatro casos semelhantes. Ontem, 14 casais de noivos e uma mãe de debutante denunciaram, na Delegacia de Defraudações e Falsificações, um músico e a esposa dele, que foram pagos para tocar em festas marcadas até 2018 e teriam sumido.


Com as denúncias, o delegado titular, Jaime de Paula Pessoa, afirma que o inquérito foi aberto e que o músico é procurado para prestar esclarecimentos. Classificando a situação como frequente, Pessoa disse que há cuidados que podem ser tomados.


“Neste caso, as vítimas dizem ter seguido recomendações que a gente sempre dá, como buscar referências, procurar reclamações nas redes sociais e fazer visita em um endereço fixo. Não houve falha nesse sentido. Mas os contratos foram firmados com pessoa física. Se fosse com empresa, haveria mais garantias”.


A diretora do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Fortaleza), Cláudia Santos, recomenda investigar se há reclamações sobre a empresa ou prestador no cadastro mantido pelo órgão e divulgado no site. “Se ela consta no cadastro e se for uma reclamação não respondida, é bom que o consumidor pense duas vezes. Outros pontos são evitar firmar contratos pela internet e manter documentadas por escrito todas as ofertas acordadas”, ensina.


Uma das noivas teria recebido do músico documento em que ele informa ter mais de 20 anos de atividade, mas, por conta da crise econômica, estar impedido de honrar com o contrato, porque teve “até mesmo os instrumentos penhorados”. Ainda na carta, o músico se compromete a entrar em contato com a cliente para “solucionar os termos do distrato da melhor forma possível, a fim de minimizar os transtornos”.


Alguns contratos foram firmados ainda em 2016. Mas há um casal que pagou e assinou contrato em 27 de junho. “Ele tocou em casamentos de amigas minhas. Me encontrei com eles na quarta-feira da semana passada e estava tudo ok. Ontem, fui na casa deles e encontrei a vidraça arrancada, com correntes e cadeados no lugar. Fiquei desesperada”, conta a noiva, que pede para não ser identificada. Para ela, músico e esposa, responsável pela tratativa administrativa dos contratos, podem ter agido de má-fé.


Durante a tarde de ontem, O POVO tentou contato com o músico nos telefones que constam nos contratos, mas as ligações não foram atendidas. (Angélica Feitosa e Domitila Andrade)

 

Dicas


ANTES DE CONTRATAR

1 Procurar referências, olhar lista de empresas com reclamações no site do Procon Fortaleza (http://bit.ly/2tmTGsa) ou ligar para 151.


2 Redobrar os cuidados em caso de ofertas com preços muito abaixo do que é a média no mercado.


3 Não firmar contratos pela internet, visitar endereço físico e ter documentado por escrito a descriminação do serviço e os valores que estão sendo firmados.


DEPOIS DO DESCUMPRIMENTO


1 Procurar o Procon para, por acordo, conseguir a reparação do serviço; a Justiça para processo indenizatório por danos morais ou patrimoniais; e a delegacia, caso possa se configurar estelionato.

Adriano Nogueira

TAGS