PUBLICIDADE
Jornal

Cresce a meta de redução de emissões de gases poluentes para 2020

Diminuição alcançada em 2015 foi de 4%. Meta para 2020 é quase quatro vezes maior. Utilização de biodiesel no transporte e reciclagem de resíduos orgânicos são ações previstas em plano de ações e metas do Município

07/07/2017 01:30:00
NULL
NULL
[FOTO1]

Fortaleza reduziu em 4% a emissão de gás carbônico (CO2) no ano de 2015 — o equivalente a 132.140 toneladas (tCO2e). O desafio para 2020 é quase quatro vezes maior: até lá, a Capital deve reduzir 15,5% das emissões, conforme estabelecido no Plano de Ações e Metas para Redução de Emissões de Gases do Efeito Estufa.

[QUOTE1]

Uso de biocombustíveis como o biodiesel na frota de veículos do Município, extensão da rede cicloviária, da malha de transporte coletivo (BRT, metrô e VLT) e das faixas exclusivas de ônibus, além de compostagem (processo de reciclagem dos resíduos orgânicos), são medidas que devem reduzir o lançamento dos gases.


No último dia 13 de junho, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) sancionou a lei nº 10.586, que discorre sobre a Política de Baixo Carbono de Fortaleza e inclui o plano de ações e o Inventário de Emissão de Gases do Efeito Estufa. Os documentos estabelecem diretrizes e instrumentos para a sustentabilidade socioambiental previstas na lei, que foi lançada oficialmente na manhã de ontem pelo prefeito.

[SAIBAMAIS]

O inventário, que traz mapeamento dos principais responsáveis pela emissão de gases, é fruto de parceria da Secretaria Municipal do Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) com a Associação Mundial de Governos Locais e Subnacionais Dedicados ao Desenvolvimento Sustentável (Iclei), ligada à Organização das Nações Unidas (ONU).


Em 2018, nova edição de inventário será lançada com base em dados de 2016. O documento de 2014 dá conta de que a emissão de Fortaleza no ano de 2012 foi de 3.827.521 tCO2e. “Nós conseguimos a redução prevista. Mas o que era um plano de metas hoje é lei”, explicou Águeda Muniz, titular da Sema.


“Parte do compromisso diz respeito ao transporte público, parte à reciclagem e ao reúso do lixo, além de tantas outras que dizem respeito à própria regulamentação de atividades geradoras de impacto ambiental. Está tudo incluso dentro desse plano. A tarefa agora é efetivá-lo”, reconheceu o prefeito.

 

Ações e metas

Responsável por cerca de 60% das emissões de Fortaleza, o transporte tem recebido atenção especial. Ações no campo devem levar à redução da emissão de 517.207 tCO2e até 2020. As medidas são divididas em quatro eixos: transporte e mobilidade urbana, energia, resíduos e a construção civil e desenvolvimento urbano sustentável.


Medidas como ampliar a iluminação com lâmpadas de LED, contratar energia solar para suprir as instituições públicas, estabelecer estratégias de redução de impactos na construção, por meio da eficiência energética e hídrica, aumento da arborização na Cidade, além do aproveitamento de resíduos orgânicos, devem ser tomadas para a redução.

 

Saiba mais


Metas de redução em 2020:

Transporte e mobilidade urbana - 517.207 tCO2e

Energia - 4.498 tCO2e

Resíduos - 60.040 tCO2e

Construção civil e desenvolvimento urbano sustentável - 10.150 tCO2e


Meta para 2030:

redução de 30%, equivalente a 768.469 tCO2e.

Lucas Braga

TAGS