PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Suspeito de chacina em Horizonte é preso e outros 3 são identificados

Polícia diz que a motivação foi disputa de traficantes de drogas. Cinco pessoas morreram - entre elas, uma criança de três anos

01:30 | 23/06/2017
A chacina foi noticiada pelo O POVO na edição do último dia 13
A chacina foi noticiada pelo O POVO na edição do último dia 13
Um dos suspeitos da chacina que deixou cinco mortos e três feridos em Horizonte (Região Metropolitana de Fortaleza) foi preso, na manhã de ontem, pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) em parceria com a Delegacia de Horizonte. Outros três suspeitos foram identificados e estão foragidos. Um deles é o irmão do preso. Entre as vítimas da chacina, registrada no último dia 12, uma criança de três anos, além da mãe dela. As informações foram apresentadas durante entrevista coletiva, na tarde de ontem, na sede da DHPP.

 

Segundo o diretor da delegacia especializada, delegado Leonardo Barreto, o preso é Marcos Kleber Leite Silva, de 19 anos, que possui antecedentes criminais por tentativa de homicídio em Russas, receptação, tráfico ilícito de entorpecentes e participação em organizações criminosas. Ele foi o primeiro identificado e a ser preso.

Segundo o delegado Leonardo, a prisão de Marcos Kleber aconteceu na casa da mãe dele. Ele estava com uma pistola calibre .40 com registro da Polícia Civil da Paraíba. Ele foi autuado ainda pelo porte de arma de uso restrito e, na hora da revista, possuía maconha e crack.

O titular da Delegacia de Horizonte, delegado Rodrigo Jataí, disse que instaurou inquérito policial e ouviu testemunhas após a chacina. Conforme o delegado, a ajuda da população de Horizonte foi fundamental para a prisão. A comunidade, ele afirma, denunciou os envolvidos por causa do fato de uma criança ter sido vítima.

A Polícia Civil requisitou à Justiça a prisão de Marcos Kleber e do irmão dele e mandados de busca e apreensão. Eles são apontados como os responsáveis pelos disparos. Durante a ação, conforme a Polícia, os outros dois homens indiciados ficaram no carro, um como motorista e outro no apoio.

O crime

Conforme Rodrigo Jataí, a motivação do crime seria a disputa de território de tráfico de drogas por grupos rivais. A Polícia está apurando a hipótese de que a ordem do crime teria partido de dentro de uma unidade prisional. De acordo com o delegado George Monteiro, se for comprovado que o crime foi ordenado por um presidiário, a Polícia vai, a partir da identificação, pedir que ele seja encaminhado a um presídio federal.

 

O alvo do crime, conforme o delegado, participa de um grupo rival dos suspeitos. Na noite da chacina, no dia 12, ele levou um tiro no pé. As vítimas estavam em um bar onde acontecia um aniversário. O homem que levou um tiro no pé seria o companheiro de uma das mulheres que morreram.

A arma que foi apreendida com Kleber deve passar por perícia para identificar se foi a mesma usada na chacina.

O delegado George Monteiro ressaltou que os casos de chacina serão tratados com prioridade pela DHPP.

 

Saiba mais

 

O caso

Segundo a Polícia Civil, as vítimas estavam em um bar, no dia 12, comemorando um aniversário, quando suspeitos chegaram em um automóvel Corolla atirando. Morreram Herton Ricardo da Silva Menezes, 20, Gabriel de Sousa Moura, 3, Rafaela Alves Silveira, 19, Bruna Erica Viana de Sousa, todos sem antecedentes criminais e Marcilândio Cavalcante de Sousa, 28, que respondia por receptação, associação criminosa, posse ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas. Outras três pessoas saíram feridas. 

JéSSIKA SISNANDO