PUBLICIDADE
Jornal

Evento celebra os 20 anos do Parque da Pedra da Risca do Meio

O parque é a única Unidade de Conservação Marinha do Ceará e fica a 18 quilômetros do Porto do Mucuripe, em Fortaleza. Espaço de 33,20 km² será lembrado durante a primeira edição da Semana do Mar, que começa hoje

08/06/2017 01:30:00
NULL
NULL

[FOTO1]

Distante cerca de 18 quilômetros do Porto do Mucuripe, o Parque Estadual Marinho da Pedra da Risca do Meio é local de contato com a fauna e flora marinha para mergulhadores há 20 anos. Com pontos variando entre 15 e 30 metros de profundidade, o retângulo com 33,20 km² abriga caminhos que unem as histórias de mergulhadores com o mar. Totalmente submerso, o local é a única Unidade de Conservação Marinha do Estado do Ceará.

[SAIBAMAIS] 

A comemoração de 20 anos do local ocorre durante a primeira Semana do Mar (Semar), que começa hoje e segue até domingo no Iate Clube de Fortaleza. A programação conta com debates sobre temas como combate ao lixo marinho e conservação no manguezal do rio Cocó. Haverá ainda aulas de mergulho recreativo e profissional, esportes de vela, surfe e stand up paddle.

[FOTO2]

O acesso ao local para mergulho, com duração de aproximadamente 50 minutos, só pode ser realizado por meio de embarcações partindo do Porto do Mucuripe. O percurso é familiar para o mergulhador Marcus Davis, que vai ao parque desde os 12 anos. “Lá foi onde eu fiz meu primeiro mergulho. Conheço como o quintal que eu brincava quando era criança”, lembra, aos 33 anos.


A prática no local só é permitida para pessoas com curso de mergulho. “Meu pai era mergulhador, então, fazia coisas que não eram comuns para outras crianças. Nunca pensei em ficar longe do mar. É um efeito colateral de meu pai ter me colocado no mar desde criança”, ri.


Além do mergulho, são permitidos pesca artesanal e esportiva, tráfego de embarcações e coletas para fins científicos de pesquisa.


A pesca predatória com redes caçoeiras e o uso de compressores de ar comprido para captura de peixes ornamentais, lagostas e peixes de grande porte são problemas na região. “É uma pena a gente ver a degradação dos ambientes mesmo em áreas protegidas. Dói ver isso”, considera Davis. Após acompanhar as mudanças no local, ele observa a diminuição das arraias e lagostas causada pela pesca ilegal.


Mais de 153 espécies são catalogadas na área do parque, de acordo com a gestora do local, Izaura Lila. São famílias de lagostas, peixes ornamentais, tartarugas, algas e esponjas que formam os recifes de corais. No ano passado, o parque foi contemplado pelo edital do projeto Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas (GEF-Mar) para realização de plano de manejo e monitoramento. “Serão realizadas pesquisas mais aprofundadas sobre as espécies, a utilização do parque e a comunidade do entorno”, detalha Izaura. O projeto é realizado com recursos do Banco Mundial em parceria com o Ministério do Meio Ambiente.

 

Serviço

 

Semana do Mar (Semar)

Quando: de hoje até domingo, 11, das 8h às 20 horas

Onde: Iate Clube (avenida Abolição, 4813, Mucuripe)

Palestra 20 anos de criação do Parque Estadual Marinho da Pedra da Risca do Meio

Quando: hoje, às 18h50min

Entrada gratuita.

TAGS