PUBLICIDADE
Jornal

Número de casos suspeitos este ano de chikungunya já supera os de 2016

Em pouco menos de cinco meses, notificações da doença no Ceará este ano já superam as de todo o ano passado. São 20.515 casos confirmados

27/05/2017 01:30:00
NULL
NULL

[FOTO1] 

Faltando pouco mais de um mês para a metade de 2017, o número de casos notificados de chikungunya no Ceará este ano já é maior que os registrados nos doze meses de 2016. O Boletim Epidemiológico divulgado ontem pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) informa que o Ceará teve até ontem 55.971 notificações da doença. Número que já é 13% superior aos 49.516 de 2016, com o agravante de que se passaram pouco menos de cinco meses deste ano.

[SAIBAMAIS] 

Na última semana, foram notificados 8.380 novos casos, de acordo com o boletim. A taxa de incidência dos casos suspeitos de chikungunya no Ceará é de 624,4 casos por 100 mil habitantes.


As estatísticas de casos confirmados também têm números expressivos.


Além dos 14 óbitos causados pela doença, a barreira dos 20 mil foi quebrada com os 20.515 casos confirmados no Ceará. Esse número já representa 65% quando se faz comparação com os 31.482 confirmados de 2016.


Dos casos de chikungunya confirmados, pouco mais de dois terços (66,9%) concentraram-se nas faixas etárias entre 20 e 59 anos. A incidência da doença sobre pessoas do sexo feminino foi predominante em todas as faixas etárias à exceção das idades até 14 anos.


Fortaleza segue liderando as estatísticas da chikungunya. A Capital já tem confirmados 13.428 casos da doença em 2017, o que representa 65% dos registros de todo o Estado.


Os casos notificados em Fortaleza este ano também superam os de 2016. As 23.076 suspeitas em Fortaleza em 2017 já ultrapassam em 10,6% os dados de 2016.


Dengue e zika

O boletim também apresentou atualizações referentes aos casos de dengue e zika, outras arboviroses que têm o Aedes como vetor de transmissão.

 

O Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) registra 39.425 casos de dengue no Estado. Desses, 9.047 (22,9%) foram confirmados, com três óbitos.


Em relação à zika, os cinco primeiros meses de 2017 registraram notificação de 1.494 casos da doença, com 144 comprovados. Entre os confirmados, 17 ocorreram em gestantes, sendo cinco no primeiro, oito no segundo e quatro no terceiro trimestre de gravidez. Os municípios do Estado que confirmaram casos em gestantes foram Brejo Santo, Caucaia, Icó, Independência, Fortaleza, Maracanaú e Uruoca.


Somando, o número de confirmações das três arboviroses carregadas pelo Aedes (chikungunya, dengue e zika) no Ceará em 2017 é de 29.706 pessoas infectadas.

 

Números


13% é o percentual em que as notificações de 2017 já superam as de 2016

João Marcelo Sena

TAGS