VERSÃO IMPRESSA

Passeio histórico comemora aniversário de Fortaleza

Cerca de 150 pessoas passaram por 34 pontos históricos da Capital. Descobertas, conhecimento e valorização pelo passado

01:30 | 10/04/2017

[FOTO1]
“Quem sabe o nome do primeiro forte de Fortaleza?”, pergunta o historiador. De pronto, Pedro Henrique, 9, levanta a mão. Ele nem é escolhido para responder, mesmo assim começa a mostrar porque saber o passado pode mudar o futuro. “Estou esperando ele falar sobre os donatários, que tinham o poder em alguns territórios. Assim como hoje, mas sem as coroas”, definiu. Pedro era uma das 150 pessoas que, ontem, puderam saber um pouco mais sobre a história de Fortaleza.

O passeio foi oferecido pelo Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros do Ceará (Sindiônibus), em comemoração aos 291 anos da Capital, no próximo dia 13. O objetivo era fazer com que os fortalezenses passassem por 34 pontos importantes do patrimônio histórico da Cidade. “O cidadão precisa ser mais sensível à sua história, porque isso vai refletir no turismo. É preciso resgatar esse passado através do imaginário”, avaliou o historiador e turismólogo Gerson Linhares.

No monumento Marco Zero, por exemplo, na Barra do Ceará, o som das festas e o calor da praia nem chamam atenção à história que o lugar traz. “Fortaleza nasceu aqui, isso é muito importante. E como é bonito, nunca tinha estado aqui”, disse o servidor público Egídio Santos, 46. Ele estava acompanhado da esposa e da filha, Elyssa Frota, 21, estudante de História. “É fundamental pensar Fortaleza a partir dessas datas, mas é também essencial falar sobre as pessoas silenciadas. Antes de Martim Soares Moreno chegar aqui, já haviam os índios. E as tribos, por exemplo, não estão nessa rota cultural”, destacou.

DESCOBERTAS
Para o presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira, o passeio é parte da fusão já existente entre a história e o transporte. “A locomoção é um vetor de contato com lugares que as pessoas precisavam acessar, e que se transformaram com isso”, afirmou. Acompanhado do filho, Dimas também passou a conhecer mais sobre a cidade onde atua. Foi em um dos passeios que descobriu sobre a existência de um porto para aeronaves na Capital. “Nem tinha ideia disso, e que teve toda uma influência também na construção da cidade”, complementou.  

Dois ônibus conduziram os passageiros pelas ruas dos pontos históricos. Gerson Lima ia descrevendo o passado e lembrando as ações de preservação necessárias para que, no futuro, as pessoas saibam a história de seus patrimônios. “É preciso investir nisso ainda nas escolas, fazer com que as pessoas caminhem pela cidade, além de ter o apoio do poder público e dos empresários. Existem mais de 150 roteiros históricos em Fortaleza”, afirmou.

SERVIÇO

Alguns passeios históricos de Fortaleza

Trem da História
Todos os sábados, das 13h às 14 horas
Local: Centro Cultural BAnco do Nordeste (Rua Conde d’Eu, 560-Centro)

Trenzinho da História (para crianças)
Todos os sábados, das 16h às 17 horas
Local: Centro Cultural BAnco do Nordeste (Rua Conde d’Eu, 560-Centro)

Fortaleza a pé
Diariamente, das 8h às 11 horas
Local: Praça do Ferreira

*Todos precisam de agendamento

Mais informações: ONG Caminhos de Iracema (3231-2687/9.8835-9915)

 

TAGS