VERSÃO IMPRESSA

Começa operação para tapar buracos em Fortaleza

Prefeitura deu início aos trabalhos com antecedência devido à quantidade de chuvas. Até dezembro, serão gastos R$ 46 milhões

01:30 | 08/04/2017

[FOTO1]

Os reparos na malha viária de Fortaleza começaram mais cedo em 2017. Também conhecido por Operação Tapa-buraco, o conjunto de obras para recuperar vias danificadas no período chuvoso teve início ontem com a atuação de seis equipes. Segundo o prefeito Roberto Cláudio (PDT), as ações costumam vir no segundo semestre, mas precisaram começar em abril devido à intensidade das chuvas na Capital. O investimento é de R$ 46 milhões para obras entre abril e dezembro.

[SAIBAMAIS]

As primeiras vias a receberem as obras pontuais foram as ruas Granja Castelo (Messejana), Crisanto Moreira da Rocha (Cambeba), Clarindo de Queiroz (Centro), Leon Gradvohl (Jardim Cearense) e as avenidas Frei Cirilo (Messejana) e Presidente Costa e Silva (trecho no Bonsucesso). Conforme RC, a intensidade dos trabalhos será nos próximos três meses, priorizando corredores e faixas exclusivas de ônibus, vias por onde passam linhas do transporte público e onde o fluxo de veículos seja mais intenso. As obras devem ocorrer em dias sem chuvas e, preferencialmente, fora dos horários de pico.


As informações foram divulgadas ontem, no Paço Municipal, em entrevista coletiva. No planejamento das ações, o primeiro semestre concentra limpeza de canais e córregos em parceria com a Defesa Civil. No entanto, os volumes de chuva deste ano, com média de 838,2 milímetros nos três primeiros meses, anteciparam a recuperação da malha viária, explicou João Pupo, secretário da Conservação e Serviços Públicos.


Buracos

Na avenida Presidente Costa e Silva, o cruzamento com a rua 117 chama atenção pelo buraco e um sofá velho colocado pela população. O trecho fica no bairro Jangurussu. Por ali e pelo bairro Barroso, o cenário é de ruas esburacadas e pouca manutenção, lamenta a moradora Maria da Conceição Silva, 68. “Quando chove, esse buraco fica coberto e com água fedorenta”, diz.

 

Outro ponto crítico está na avenida João Pessoa, no bairro Damas. Até a tarde da quarta-feira, 5, os ônibus que precisavam entrar na via no sentido da Parangaba seguiam na contramão. Desde então, um grande buraco está preenchido com areia para permitir a passagem. “Mas precisa vir logo o asfalto. Se começar a chover de novo, volta a ficar como antes”, observa Francisco de Souza, funcionário do posto de gasolina em frente ao cruzamento. 

 

Serviço 


Para solicitar reparos em vias danificadas

Regional Centro: 3226 5059

Regional I: 3433 6875

Regional II: 3241 4802

Regional III: 3433 2519

Regional IV: 3433 2862

Regional V: 3433 2929

Regional VI: 3488 3124

 

Para qualquer região:
 

Disque 156 ou baixe o aplicativo Central 156

THAÍS BRITO

TAGS