VERSÃO IMPRESSA

Com volta às aulas, tráfego de veículos cresce 15% em Fortaleza

01:30 | 24/01/2017
Após dois meses de férias escolares, o cenário próximo a colégios de Fortaleza começou a mudar cedo, na manhã de ontem. O fluxo intenso de pessoas nas calçadas foi seguido também pelo aumento do tráfego nas ruas. Segundo a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), a estimativa é de que neste período haja aumento de 15% no número de veículos circulando nas vias da Capital.

 

A maior quantidade de carros e a pressa para que as crianças embarquem e desembarquem contribui para o aumento das infrações, segundo o órgão. De acordo com Disraeli Brasil, gerente de operações da AMC, as principais irregularidades registradas são estacionamento em local proibido, sobre a faixa de pedestre e em esquinas.


O POVO esteve, no fim da manhã e no início da tarde de ontem, no Colégio Batista, na Aldeota, na Casa da Tia Leia, também na Aldeota, no Christus, no bairro Dionísio Torres, no Santo Inácio, na Aldeota, e no Ari de Sá, no Edson Queiroz.


Na maioria das escolas, o trânsito fluía normalmente. No Ari de Sá, funcionários orientavam motoristas, ajudando os alunos a irem de um lado a outro da avenida. Contudo, alguns condutores ainda estacionavam em locais proibidos. Próximo ao Colégio Batista, nas áreas onde a sinalização indica ser proibido estacionar, era fácil flagrar desrespeitos. Com a rua Desembargador Leite Albuquerque congestionada, a faixa de pedestre também servia de ponto de embarque e desembarque.


Para o construtor Douglas Holanda, 59, o maior problema está nas vias do entorno do colégio, com poucos locais para estacionar. “Não tem vaga, e o pessoal sai parando em todo lugar. Onde pode, onde não pode, em cima da faixa (de pedestres)... Mesmo com as placas avisando que é proibido”, reclamou.


Centro e Aldeota

Segundo Brasil, os maiores “gargalos” são registrados em escolas próximo ao Centro e Aldeota, por serem instituições localizadas em vias de passagem de grande quantidade de veículos, independentemente das aulas. Até o fim da próxima semana, a AMC terá 12 agentes atuando na Capital, em locais próximo ao acesso às escolas, além do apoio de oito agentes do Via Livre.

 

“Vamos escolher diariamente cinco escolas, levando em consideração àquelas nos principais corredores, e fazer o ordenamento. Escolhemos cinco neste primeiro dia, mas a ideia é atuar em pelo menos 30 ao longo das semanas”, afirmou o gerente de operações da AMC. De acordo com ele, a intenção é coibir as infrações de estacionamentos irregulares e criação de filas duplas, principais responsáveis pelos congestionamentos.


Ele aponta ainda ser comum infrações de passageiros sem cinto de segurança ou uso inadequado da cadeirinha, bebê conforto ou assento de elevação.


Os agentes atuarão das 7h às 9 horas e das 11 horas ao meio-dia. A partir da próxima segunda-feira, 30, haverá ainda abordagens educativas para conscientizar pais, estudantes e professores sobre a convivência pacífica no trânsito. (Igor Cavalcante)

ADRIANO NOGUEIRA

TAGS