VERSÃO IMPRESSA

Casal celebra paixão que nasceu no primeiro olhar e já dura 70 anos

Ramira e Manoel Gonçalves completam sete décadas de seus "sins". Às bodas de vinho se somam conversas - antes de tudo - namoros, "briguinhas", conforme dizem e, claro, companheirismo e amor

01:30 | 24/01/2017
[FOTO1]

 

Angélica Feitosa

angelica@opovo.com.br


O pai dela flagrou a primeira conversa entre os dois. Manoel Gonçalves somava 26 e Ramira, 19 — ele, quase um rapaz velho e ela, beirava o caritó para a época. Mas pouco se importavam com a idade para o matrimônio. “Fiquei com uma impressão nela”, revela a paixão no primeiro olhar, com um sorriso tímido de canto de boca. Quando o pai da moça chegou e viu a filha oferecendo água a um rapaz, anunciou logo: vai ter que casar. Hoje, Manoel, 96, e Ramira, 89, que, de batismo, é Raimunda Gonçalves, inteiram bodas de vinho, 70 anos depois dos seus “sins”. A história se iniciava em 24 de janeiro de 1947.


Ele era agricultor de laranja e feijão no sítio Córrego da Catita, e ela, estudante do sítio Pau Branco. A lembrança daquela camisa e saia rodada rosas, roupa que a moça usava no primeiro dia que a viu, não sai da mente até hoje. “Mas o que eu mais gostei nela foi o sorriso”, diz, ainda tímido.

 

Embuste

Antes do casório, ainda inventaram um embuste. Disseram para o agricultor que a moça já estava prometida a um rapaz de Russas. Enciumado, ele se conteve até chegar o dia do namoro e questionou Ramira. Ela jurou de pés juntos que era invencionice de quem não tinha o que fazer. Ele, claro, confiou. Foi nesse dia que trocaram, escondidos, um beijo. Primos legítimos, os dois tiveram ainda de superar preconceitos do Interior. Da união, nasceram 17 filhos, sendo 14 mulheres. Hoje têm 27 netos e 26 bisnetos.

 

Foi no colo um do outro que entenderam a perda da filha Maria, aos 57 anos, em 2009, vítima de um aneurisma. Foi uma dor tão grande pros dois que só o colo os fez deixar de chorar e continuar tocando a vida, mas sempre lembrando dela nas orações.


Entre carinhos e beijos, eles prometem comemorar. Os dois se preparam para participar da missa hoje e festejar a união no fim de semana. O som de Aquela Mesa, do Nelson Gonçalves, deve embalar a continuação da história dos dois. “Eu estou me preparando para os 80 anos de casados”, anuncia o filho Anacleto Gonçalves, 47, o mais novo dos 17. A exemplo dos pais, a filha mais velha, Maria do Socorro, 69, já completou 50 anos de casada com o esposo José. E promete chegar aos 70. “Eles são minha inspiração”, finaliza.

ADRIANO NOGUEIRA

TAGS