Participamos do

"FNE com taxa Selic é melhor nem ter"

17:00 | Abr. 01, 2017
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

 

Jocélio Leal

 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

FNE com taxa Selic é melhor nem ter. Este era o tom da indignação no corpo técnico do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) na noite de sexta-feira. Foi a reação indignada de quem viu as taxas do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) serem reduzidas em meio ponto percentual pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). À primeira leitura, uma boa nova. Juros menores. Contudo, a redução veio com congelamento previsto até dezembro. Isto, enquanto a taxa básica dos juros, a Selic, até o réveillon deverá cair no mínimo 3%. “Não faz o menor sentido”, bradou um executivo do Banco, com trânsito na sede do BNB, no Passaré. O Banco é o agente financeiro do fundo, criado pela Constituição de 1988 com a função de alimentar uma política de equilíbrio regional.


Em 18 de fevereiro, a Coluna já alertava para a possível alteração do FNE. “(Em março) Será a próxima reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), na qual existe a real possibilidade de os juros do FNE se tornarem menos atraentes. O risco está, se não em um aumento, mas na diminuição da diferença entre a Selic e as taxas do Fundo, principal motor para o crédito de longo prazo na região. Na prática, muito ruim para o Nordeste e para o BNB. Em verdade, as mudanças no crédito direcionado já estão a ocorrer. Por exemplo, no BNDES não há mais nenhuma linha com funding 100% TJLP”. Dito e feito.


O entendimento médio de quem depende do dinheiro mais barato do FNE é que, no final das contas, o BNB e o Nordeste estão pagando pelos excessos do BNDES. Na equipe econômica, em verdade, o chamado direcionamento - os recursos que o BNDES e o BNB, por exemplo, emprestam para determinados setores – é visto com imensas reservas. Em grande medida pelos descontroles da Era Dilma. A desidratação do crédito direcionado é lida em Brasília como defesa da Política Monetária. A criação da nova Taxa de Longo Prazo (TLP), como principal remuneração nas operações de crédito do BNDES, compõe o arsenal de medidas para evitar subsídios embutidos no dinheiro emprestado pelo BNDES. Noutros termos, acredita tapar um ralo muito profundo.


LOBBIES


Uber deixa a Dinamarca


O Uber vai deixar de operar na Dinamarca em abril.Alega que a nova “Lei do Táxi” tornou inviável. A lei obriga os motoristas a equipar seus carros com taxímetro (?!). Como disse o economista Sérgio Aquino ( UFC) ao saber da situação nem tudo são flores lá no dito reino. “Regulações excessivas por boa vontade (proteger cidadãos) ou má fé (beneficiar lobby de taxistas) acabam por prejudicar o consumidor”.

 

TURISMO


Tesouro do Cariri


O Geopark Araripe é um dos destaques da publicação oficial da Unesco sobre geoparques em todo o mundo. Figura em galeria com Canadá, Vietnã e Portugal, por exemplo. O reitor da Universidade Regional do Cariri (Urca), Patrício Melo, é um entusiasta. Ele conta que foi o primeiro geoparque das américas e hemisfério sul reconhecido pela GGN (Global Geoparks Network). O Geopark deveria ser a âncora de algo muito maior. Tem potencial para ser uma atração turística internacional, capaz de atrair os tão desejados turistas qualificados.

 

JUSTIÇA


O novo desembargador

 

O advogado cearense Leonardo Henrique de Cavalcante Carvalho, escolhido pelo presidente Michel Temer como novo desembargador federal do Tribunal Regional Federal da 5a Região (TRF-5), com o peso político do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), cursou Direito (1999) e se especializou em Direito Processual Civil (2002) pela Universidade de Fortaleza, onde também é mestrando.


JOGO RÁPIDO

 

COBRANÇA.

Os bancos públicos precisam exigir mais agilidade da cobrança judicial. Com o Judiciário moroso, melhor para os devedores. Os bancos ajuizam, contudo, nunca mais veem o dinheiro de fraudes. Os executados quase sempre são mais eficientes…


PEC DERROTADA


Sem mensalidade...

 

Não poderia haver notícia melhor para mercado do ensino superior privado e pior para as instituições de ensino superior públicas, ainda que o discurso de quem apoiou a derrubada da PEC 395/14 – sobretudo PC do B e PSOL – seja outro. Em resumo, a referida Proposta de Emenda à Constituição permitia as universidades públicas cobrarem por cursos de pós-graduação lato sensu. Agora o setor privado poderá atuar sozinho, porque as públicas não têm como bancar a oferta sem mensalidades.

 

PRIVADAS GANHAM


...Sem cursos nas públicas


As mensalidades eram uma forma de viabilizar a oferta, posto o fato de que nos orçamentos públicos não há recursos previstos para financiar cursos de especialização ou de extensão.Um professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) com experiência na coordenação de especializações diz que o efeito é imediato. “A sociedade vai perder cursos com preços mais acessíveis, por não haver objetivo de lucro. Os partidos de esquerda colocaram este nicho no colo das faculdades privadas”.

 

IGUATEMI FAZ 35 ANOS HOJE

 

SHOPPING. Hoje, 2 de abril, o Iguatemi Fortaleza completa 35 anos. O primeiro grande shopping do Ceará tem o maior índice de lembrança na pesquisa Anuário-Datafolha Top of Mind, feita desde 2002. Durante longos anos, foi a rigor a única operação da Jereissati Centros Comerciais (JCC). Na última pesquisa, liderou com folga: 36,6%. Na Classe AB, teve 48,3%..


NEGOCIAÇÕES


Porto do Pecém toca o barco em São Paulo


O Estado ainda não definiu quem será seu advisor (a atuar na negociação com a Port of Rotterdam). Mas toca o barco. A Ceará Portos teve reuniões com pelo menos três das Big Four - PwC, EY e KPMG. Em breve, terá com escritórios jurídicos paulistas e com a empresa holandesa sobre o plano de negócios do Cipp. Tudo segue trancado por conta de cláusula de confidencialidade. O Pecém participa da 23ª edição do Intermodal South America, de terça a quinta, em São Paulo, com 100m² de estande e muito mais visitantes depois da aproximação com os holandeses.

 

HORIZONTAIS

* RJ. Fernando Tardioli, do escritório Tardioli Lima Advogados, de São Paulo, alerta: o Judiciário acolhe pedidos de recuperação judicial de empresas que não se encontram em crise. “Muitas entram com o pedido apenas para ganhar tempo e aplicar deságios em seus credores, alongando os prazos para pagamento de suas obrigações”. * AZEITE. A Casa do Azeite, o organismo lusitano que apoia os produtores de azeite português, não engole mais uma da Proteste, a entidade brasileira que faz testes periódicos de produtos. A Proteste identificou sete marcas que não seriam puras. Conteriam misturas de óleos vegetais e animais. Nada contra o resultado, mas contra duas informações. Uma de que são azeites-extra virgens e outra de que são portugueses. Afinal, são embalados no Brasil. Vai protestar formalmente contra a...Proteste.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente