Retrato em branco e preto 

PUBLICIDADE

VERSÃO IMPRESSA

Retrato em branco e preto

2018-11-08 01:30:00
Ruim para o Ceará a contusão de Juninho Quixadá. Embora tenha como ponto forte da equipe um sistema de jogo coletivo, onde é predominante a marcação e a saída rápida para os contra-ataques, a presença do meia acrescentava ao time um elemento surpresa.

 

Segundo o departamento médico do clube, o atleta teve um rompimento num músculo da perna esquerda, dizem que foi o adutor, que o impedirá de jogar as próximas partidas. Levando em consideração a gravidade da contusão, o atleta talvez só jogue a última partida da Série A, contra o Vasco.

 

Contra o Sport do Recife, na última segunda-feira, sua ausência foi sentida por todos. Embora seja franzino e não tenha grande preparo físico, sendo sempre substituído no segundo tempo das partidas, suas jogadas fazem dele um jogador diferenciado.

 

O repertório é variado. As paradas rápidas, as saídas bruscas, a alternância de direção, os dribles curtos ora com a perna direita, ora com a perna esquerda e os passes inteligentes fizeram dele a esperança dos alvinegros, que se acostumaram com seu futebol estonteante.

 

Lisca tentou um substituto e nem sei se vai tentar de novo, mas Ricardinho embora, tenha habilidade e grande visão de jogo, não tem mais a intensidade e o balanço de corpo que permite um jogador entrar na área adversária com a bola dominada espalhando o terror.

 

E olhem que o drible, o mais brasileiro de todos os fundamentos, está em baixa. O futebol nos dias de hoje prima pelo coletivo. Posse de bola e marcação são manobras ofensivas e defensivas utilizadas e cantadas em verso e prosa por jogadores e técnicos após as partidas.

 

Tudo é preparado para isso. A começar pelos campos de futebol onde se corta a grama bem baixinha e molha-se todo ele antes de começar a partida. Tal medida facilita a troca de passes e os jogadores evitam driblar porque escorregam e talvez nem saibam mais.

 

No terço final do campo quando os jogadores se enfrentam no um a um o drible é imprescindível. Sem perder de vista fatores do futebol moderno, ninguém pode esquecer os aspectos do nosso futebol que encantaram o mundo. O futebol perde com a saída temporária do Juninho Quixadá.

 

Sérgio Redes

TAGS