Os comentaristas
PUBLICIDADE

VERSÃO IMPRESSA

Os comentaristas

2018-09-20 01:30:00
Alvinegros não cabem em si de contentamento e já falam em se manter na primeira divisão. Comentaristas de resultados que malhavam os jogadores dizendo que eles eram ruins de bola e sem condição de disputarem a Série A, no momento vibram com os resultados.

 

Esta contradição é própria de quem é ruim da bola. No interesse de alcançar seus objetivos, o comentarista de resultados reproduz através dos meios de comunicação, a voz do torcedor. Tal procedimento estabelece uma cumplicidade aumentando a audiência do seu comentário.

 

O Ceará mudou da água para o vinho. A equipe, que sob o comando de Chamusca e do Jorginho não conseguia nenhuma vitória, vem pontuando sob a orientação do técnico Lisca. Os resultados aparecendo e a equipe ganhando musculatura.

 

Qual a razão dessa metamorfose? Tem de se tirar o chapéu para "Lisca Doido", que de doido não tem nada. Nas suas entrevistas percebe-se que ele valoriza qualidades mentais, ou seja, concentração, compromisso, confiança, controle das emoções e ansiedade.

 

Outro dia, o Wilton Bezerra, nosso comentarista maior, me perguntou no programa Com a Bola Toda, da TVC, a importância do controle emocional dos jogadores numa partida de futebol. Respondi de primeira: o estressado não deve sair de casa.

 

O técnico alvinegro está retirando de cada jogador o máximo que cada um pode dar na busca de uma equipe coletiva. E tem conseguido. Dentro das suas limitações técnicas, a equipe, em determinadas partidas, marca, marca, marca e espera a chance do contra-ataque.

 

Duas das seis vitórias conquistadas até agora foram assim. Contra o Flamengo e contra o Paraná. Jogar por uma bola exige dos jogadores uma paciência de Jó. A bola vai para lá e vem para cá e você na roda que nem um peru a espera de um erro do adversário.

 

Um comentarista moderno diria que a equipe tem um poder de entrega fenomenal. Um comentarista das antigas diria que o jogador alvinegro vai à bola como num prato de comida, mas quem tem de prestar mais atenção é o comentarista de resultados, que nas derrotas sempre encontra culpados.

 

Sérgio Redes

TAGS