PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Bom da bola

2018-04-12 01:30:00
Na coletiva a imprensa, Marcelo Paes, presidente do Fortaleza, reafirma o interesse do clube em dar continuidade ao trabalho do técnico Rogério Ceni e justifica sua fala afirmando que sua gestão não está sujeita a mudança de técnico por conta de um insucesso.

 

Não conheço maiores detalhes das ações do presidente, mas entendo que a equipe, razão maior da existência do clube, alcançou bons resultados. O vice- campeonato conquistado assegura participação nas copas do Nordeste e do Brasil no ano que vem.


E, além dessas competições, Rogério Ceni, que é bom de bola e da bola, tem uma chance de disputar a série B e ir se afirmando gradativamente como técnico de futebol. Escrevo bom de bola porque ele é visto frequentemente participando dos treinos do clube.

[QUOTE1]

Bom da bola porque sempre foi um estrategista. Os torcedores se impressionaram com as atuações do goleiro alemão Manuel Neuer na última Copa do Mundo porque ele dava cobertura aos seus dois ou três zagueiros de área jogando com os pés.


Nossa memória é curta e costumamos desvalorizar o que temos. Por conta disso, lembro a todos que o Rogério Ceni fazia isso no São Paulo anos atrás. Quando seu time tinha a posse da bola, ele se posicionava na meia lua, pronto para evitar um contra ataque.


Saía jogando com os pés em lançamentos longos e precisos. Fica evidente que um jogador que procede assim tem uma visão privilegiada do que acontece durante uma partida. Embora torcedores reclamem que mexe muito no time, suas ações convidam a reflexões.


Comentaristas adoram dizer que determinada equipe joga no sistema X. Vi jogos do Fortaleza no campeonato em que ele alterava o sistema da equipe sem ter necessidade de fazer substituições. É preciso ler o jogo e conhecer as características dos jogadores.


Embora ainda seja um técnico em formação, e, como qualquer outro, depende dos resultados, sua presença em Fortaleza faz bem ao futebol cearense. Marcelo Paes está no caminho certo quando sinaliza que uma ou outra derrota não quebra o planejamento feito.


Gabrielle Zaranza

TAGS