Participamos do

Ações alimentares

01:30 | Fev. 06, 2017
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou em 31 de janeiro doações de 11,7 mil toneladas de alimentos que supriram 528 mil cestas em 2016. A ação, junto com o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, beneficiou acampados, quilombolas, indígenas e pescadores artesanais, entre outros.


Segundo a Conab, o atendimento é destinado a famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional de todos os estados, além do Distrito Federal. Junto ao Incra, 4,8 mil toneladas de alimentos chegaram a acampados.

Quilombolas, em torno de 68 mil famílias, receberam 90 mil cestas.


Perto de 112 mil cestas foram para mais de 60 mil famílias indígenas da área da Funai. Para outros grupos indígenas – cerca de 16,5 mil –, a Secretaria Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde distribuiu quase 21 mil cestas. Pescadores artesanais e famílias afetadas por calamidades receberam 26,5 mil cestas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

CRIAR E EMPREENDER

No segundo semestre de 2016, a Fundação Cargill e a Enactus, organização internacional que fomenta o empreendedorismo social em universidades, lançaram o Prêmio Alimentação em Foco.


A iniciativa visa apoiar financeiramente projetos de estudantes que atendam às categorias de: agricultura familiar, combate ao desperdício de alimentos, educação alimentar e empreendedorismo na cadeia de valor da alimentação.


Ao final de 2016, 15 times universitários foram selecionados.

Até junho deste ano, eles receberão incentivo financeiro e mentoria, tanto da Enactus Brasil quanto da Fundação Cargill, para os seus projetos.


O grupo vencedor e o classificado em segundo lugar serão premiados com R$ 7 mil e R$ 5 mil, respectivamente. Criar e empreender podem ser considerados os lemas dessa ação que estimula os universitários a transformarem para melhor as condições de vida das pessoas. A seguir, um resumo dos projetos selecionados.


PROJETOS INOVADORES

Gaia (CEFET-RJ): Um grupo no Facebook para ligar diretamente o pequeno produtor ao consumidor final.


Telhados verdes (UFRJ): Uma nova técnica de telhados vivospara o cultivo de plantas comestíveis nas comunidades.

 

Fênix (EEL USP): Horta orgânica segundo a agricultura sintrópica, que respeita a floresta e não é extrativa.


Arapuã (ESAG UDESC): Apicultura e comercialização de própolis e mel para empoderar comunidades de áreas de manguezais.


Cabra Nossa de Cada Dia (Faculdade Luciano Leitão): Leite de cabra para minimizar a mortalidade infantil e a carência alimentar de população rural nordestina.


Mudas (IFCE IGUATU): Capacitação de pessoas para a produção de frutas e hortaliças e para a fabricação de produtos a partir das colheitas.


Sonhos de Maria (Leão Sampaio): Cozinha comunitária para 17 donas de casa de Juazeiro do Norte (CE) produzirem doces de frutos machucados na colheita e transporte para venda.


Mãos à Horta (UFABC): Horta comunitária para gerar renda aos participantes e acesso a produtos orgânicos frescos e saudáveis.


Hidroponia com garrafas PET (UFAL): Substituição de canos de PVC e viveiro de mudas para fomentar hortas hidropônicas urbanas.


Sumaúma (UFAM): Técnicas para a produção de polpas de frutas amazônicas para redução do desperdício no transporte e conservação.


Quilombo de Murumuru (UFOPA): Economia solidária, técnicas de manejo, consultoria jurídica e produção de artesanato e produtos derivados do açaí.


Muda 8 (UFSCAR): Redução do descarte irregular do lixo e horta no local; técnicas de controle de produção e mutirões comunitários para a manutenção.


CAPFARP (UFU): Qualificação, práticas e desenvolvimento de cooperativa de produtores de farinha de mandioca em Minas Gerais.


Chaves (UFV-CRP): Capacitação de comunidade do distrito mineiro para que os alimentos, reconhecidos pela qualidade, tenham mais valor de mercado.


Cyclus (USP): Horta comunitária na cidade universitária para atender comunidade carente do entorno. Quem leva orgânicos para a compostagem tem desconto na compra de alimentos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente