Participamos do

Quando começar e o que ler para os filhos

| EDUCAÇÃO | Estudos demonstram que recém-nascidos reconhecem histórias que ouviram enquanto ainda estavam no útero
00:00 | Nov. 25, 2018
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
[FOTO1]

Muitos pais sabem que é importante ler desde cedo para os filhos, mesmo que eles sejam bem bebês e ainda nem dominem a língua, o idioma falado. Mas muitos pais têm dúvidas de como e quando começar! E seu eu falar que desde o útero já é significativo e não é perda de tempo e nem invenção! Isso mesmo! Desde a barriga! Experimentos demonstraram que recém-nascidos são capazes de reconhecer histórias que ouviram muitas vezes quando estavam no útero. É recomendável que os pais leiam para bebês que ainda estão no ventre materno, sobretudo a partir do momento em que começam a ouvir a voz da mãe (por volta da 22ª semana da gestação).

 

Após o nascimento do bebê, a leitura continua a lhe proporcionar uma série de benefícios, principalmente a ampliação do vínculo afetivo com quem lê para ele, desenvolvimento da compreensão auditiva, aquisição do gosto pela leitura e livros, dentre outros. Sendo assim, fique tranquilo, pois ao ler para um bebê de menos de um ano o objetivo principal da leitura não é fazer com que ele compreenda o texto. A palavra falada por si só já é bastante atraente para eles.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

 

E como ler e escolher o livro para esses pequenos então? Veja essas cinco dicas interessantes que selecionei da página Brinque-book:

Escolha pelas qualidades literárias, não pela faixa etária: livros com qualidades estéticas funcionam bem para qualquer idade e, além disso, duram...mesmo que um bebê não compreenda racionalmente contextos e palavras, ele com certeza aproveitará o contato com os pais, o uso literário da linguagem oral, a sonoridade do idioma e será instigado por um estética mais complexa que a oferecida pelos livros "para bebês".

 

Ofereça poesia, rimas, sonoridades: Poesia, parlendas, cantigas, textos que exploram a repetição e o jogo de palavras (como a tradicional música da velha a fiar) são experiências literárias na medida para bebês e crianças bem pequenas pela sonoridade e pela brincadeira com o idioma...

 

Escolha livros com os quais os bebês possam se identificar: Personagens clássicos, eternos, são aqueles com os quais as crianças se identificam...é importante oferecer um acervo rico e múltiplo nesses personagens que, de algum modo, favorecem a criação dessa identificação.

 

Deixe que andem e se movimentem: ...os bebês "leem com o corpo", ou seja, não ficam necessariamente parados ouvindo. Têm uma atenção muito focada, mas mais difusa e mais corporal. O que não quer dizer que, ao sair andando por aí enquanto o adulto lê, não estejam gostando ou prestando atenção. Portanto, siga a leitura, procure encontrar o ritmo que mais agrada ao pequeno ouvinte e deixe que ele manifeste o prazer da leitura movimentando-se, com o corpo.

 

Deixe pegar e "ver com as mãos": ...crianças pequenas "veem", sim, com as mãos. Isso quer dizer que elas precisam sentir, pelo tato, os objetos pelos quais têm interesse, pois sua compreensão não acontece apenas no plano racional. Além disso, é preciso deixar os livros à mão dos pequenos para que possam familiarizar-se com o livro e aprender, inclusive, a cuidar dele...

 

Enfim, você pode e deve realizar leituras com seus filhos desde cedo, cuidando que a leitura seja algo habitual e prazeroso e o livro algo íntimo e sempre presente. Lembrando que os vários benefícios trazidos por ela dependem muito da frequência dessa leitura e da qualidade da interação verbal realizada.

 

Boa leitura!

 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente