Participamos do

Quem não se comunica se trumbica

01:30 | Jun. 29, 2017
Autor Sergio Rêdes
Foto do autor
Sergio Rêdes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O JEITO DE GIVANILDO
 

O Jucá montou seu negócio na Beira Mar. Queijo, ovos, nata, galinha caipira, cajuína e outros produtos do Jaguaribe. Givanildo parou e perguntou um preço. Jucá respondeu de primeira: “É menor do que a sua paciência”. Segundo Jucá, Givanildo saiu rindo.
 

Ponto pro Jucá! Tirar Givanildo do sério é difícil, mas, em se tratando de um matuto contador de histórias do Jaguaribe, tudo é possível. Gosto dessas histórias de matuto e quando olho para eles não penso em outra coisa que não seja o jeito engraçado e inteligente de olhar a vida.
 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Matuto vem de matutar, que sugere reflexão. Aliás, jeito de ser do  ex-técnico do Ceará, que se caracterizava por manter-se em silêncio e ser muito breve nas suas entrevistas. Faltou humor. Os motivos vão desde o temperamento tímido aliado à repetição de perguntas.
 

O Doutor Sócrates, que foi um dos melhores jogadores do futebol brasileiro, indagado pela imprensa por que os jogadores respondiam sempre igual às perguntas que lhes faziam devolveu na mesma moeda. “Ora! Porque vocês sempre fazem as mesmas perguntas”.
 

Erandyr, que jogou no Ceará, não tinha saco para as perguntas da imprensa, mas era um gozador. Saindo ao lado dele no final de uma partida contra o Atlético-MG no Mineirão ouvi no microfone do repórter: “Erandyr, o que achou do jogo? Eu nada, mas o Edmar achou um brinco”.
 

Alguns torcedores alvinegros insinuaram que os jogadores fizeram corpo mole e isso contribuiu para a queda do Givanildo. Evidente que tinha gente insatisfeita, mas isso é normal em qualquer clube, porque tem de 11 a 15 que jogam e o resto se sente injustiçado.
 

Daí achar que houve um movimento dentro do clube para tirar o técnico é paranoia. Givanildo é muito bem sucedido como técnico de futebol e teria percebido qualquer movimento contra. A comunicação foi ruim e, como dizia Chacrinha, quem não se comunica se trumbica.
 

Marcelo Chamusca, o técnico que substituiu Givanildo, estreou vencendo. Politicamente correto, explica tudo nos conformes: a tática do time, a recomposição, a transição entre os setores do time e as jogadas de bola parada. Se for comprar no Jucá pode ser que consiga um desconto.

 

Politicamente correto, (Chamusca) explica tudo nos conformes: a tática do time, a recomposição, a transição entre os setores do time e as jogadas de bola parada 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente