PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Mercado: economia pode despencar com candidatos "extremos"

01:30 | 30/12/2017

Analistas de mercado trabalham com várias projeções de cenário para a economia brasileira em 2018; mas três fatores são destacados como risco: desequilíbrio fiscal, interrupção das reformas e eleições.

Desses três, o último é considerado o mais complicado. O calendário de alguns agentes financeiros prevê uma economia para o País considerada dentro de um fluxo normal até o dia 16 de agosto, dependendo do andamento das contas públicas e das reformas no congresso.

Passada essa data, as eleições darão o ritmo da economia. As contas já estão sendo feitas. No caso de eleições de candidatos como Lula e Bolsonaro, os números despencam.

A previsão para 2018, caso não haja nenhum sobressalto, é de um crescimento de 2,8% do PIB, com a Selic fechando o ano em 7,25%.

Com Lula ou Bolsonaro, as projeções apontam para uma queda de 1,5% da economia e uma Selic de 11%.

CONJUNTURA

INTERESSE DOS INVESTIDORES

O economista Alcântara Macedo, que está em Nova York, explica que os investidores continuam interessados no mercado brasileiro e aguardam as reformas estruturantes e os resultados das eleições de 2018.

Na sua avaliação, as projeções mais plausíveis são de um PIB entre 1% e 1,2% em 2017 e, em torno de 2,2% a 2,6%, em 2018. “Se for aprovada a reforma da Previdência necessária, em cinco anos o País terá chance de manter um crescimento médio sustentável de 5% ao ano e se firmará entre a sexta e a sétima economia do mundo”, acrescenta.

COMÉRCIO

NOVO ÂNIMO PARA O VAREJO

O novo presidente da CDL de Fortaleza, Assis Cavalcante, diz que o comércio fecha 2017 com o ânimo renovado. As projeções apontam para resultados melhores em 2018, com um crescimento do setor de 5%.

CEARÁ

FORTALECIMENTO DE PACTO

No início de 2017, o governador Camilo Santana realizou o trabalho de várias missões internacionais em busca de investimentos. O resultado disso apareceu ainda durante o ano, com a assinatura de contratos importantes, como a parceria com o Porto de Roterdã, a concessão do Aeroporto Pinto Martins e os entendimentos com a companhia Guangdong Zhenrong Energy para implantação de uma refinaria na área da Zona de Processamento de Exportação (ZPE).

Projetos que podem realmente destravar a participação do PIB do Ceará – estacionado em 2,2% – em relação ao Brasil.

Mas vale ressaltar outro ganho importante: o fortalecimento do pacto de apoio mútuo entre empresários e governo.

CEARÁ TURÍSTICO

97% DE OCUPAÇÃO

A venda de pacotes turísticos antecipados gerou grande impacto na ocupação dos hotéis do chamado “Ceará turístico” (áreas que incluem não apenas Fortaleza, mas também Jericoacoara, Canoa Quebrada, Praia das Fontes, Águas Belas, Caponga e Flexeiras).

O vice-presidente da ABIH-CE, Darlan Leite, destaca que, “pela primeira vez na história”, com 60 dias de antecedência, as reservas para o Réveillon nos hotéis da Praia das Fontes já estavam acima de 60%.

Ontem, a ocupação nos hotéis nessas praias já chegava a 97%.

“Não é 100% devido à margem de reserva das empresas para evitar overbooking”, explica.

2018

O ANO DO “HUB”

As expectativas para as férias de janeiro são de uma ocupação de 81,72%. O número também está bem acima do de 2016 (67,27%); mas 2018 guarda esperanças maiores. Com a concessão do Aeroporto Pinto Martins para a Fraport e os novos voos, a perspectiva é de manutenção de um fluxo maior de turistas durante o ano inteiro.

O secretário de Turismo, Arialdo Pinho, já está com agenda cheia, devendo participar de várias feiras neste início de ano – dentre elas, uma na Holanda, para garantir a vinda de turistas de Amsterdã.

MOVIMENTO

ROYALTIES SOBRE O VENTO

O crescimento dos projetos de energia eólica no Brasil tem chamado a atenção de políticos. O deputado Heráclito Fortes (PSB-PI) apresentou proposta sugerindo que os ventos se tornem “patrimônio da união”, permitindo a cobrança de royalties.

Empresários da área já se manifestaram contra e alertam que o custo extra pode tirar a competitividade do setor.

ANO NOVO

PAUSA PARA AS FÉRIAS

A coluna deseja um ótimo 2018 a todos, com muitas realizações.

Voltamos no final de janeiro, depois de uma pausa de férias.

A ciência é o grande antídoto do veneno do entusiasmo e da superstição”

Adam Smith (1723-1790), filósofo e economista escocês.

RÁDIO

O POVO Economia da Rádio O POVO CBN (FM 95.5) a partir das 14 horas, de segunda a sexta.

FACEBOOK

Curta a nossa página: facebook/ opovocbn

TV

Você pode assistir ao programa O POVO Economia também através do portal: tv.opovo.com.br/ opovoeconomia.

ADRIANO NOGUEIRA